36º CONECEF DEFINE PAUTA DE REIVINDICAÇÕES ESPECÍFICA DA CAMPANHA NACIONAL 2020

36


Os 265 delegados do 36º Congresso Nacional dos Empregados da Caixa Econômica Federal (Conecef) definiram, no sábado, dia 11/7, as estratégias de luta e a pauta de reivindicações específica para a Campanha Nacional 2020.


A abertura aconteceu de forma conjunta, para todos os congressos de bancos públicos (BB, CEF e BNB), na sexta-feira, dia 10 de julho, sob a coordenação da Contraf-CUT. “Esse momento de pandemia não vai impedir nossa mobilização, principalmente diante de um governo que prioriza a retirada de direitos dos trabalhadores. A defesa dos bancos públicos, que são fundamentais, para o desenvolvimento do país e para a diminuição das desigualdades, será uma das nossas prioridades para 2020”, disse Juvandia Moreira, presidente da Contraf-CUT, durante a abertura, que teve ainda a participação do professor e economista Luiz Gonzaga Belluzo, que destacou o importante papel dos bancos públicos para as políticas públicas durante a pandemia, mostrando que eles serão fundamentais também na retomada da economia.


O coordenador da Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa), Dionísio Reis, enalteceu a importância de todos os delegados entenderem e aprovarem a estratégia de luta definida durante o 36º Conecef. “Estamos num ano em que precisaremos de muita luta e muita resistência. Por isso, a nossa pauta de reivindicações foi preparada visando a manutenção dos nossos direitos e o avanço contra aqueles que querem acabar com o patrimônio nacional”, disse.


Com o mote “A distância não nos limita”, o evento contou com a participação de bancários de todo o Brasil. O debate sobre o Saúde Caixa priorizou o fim do teto de gastos e que seja sustada a resolução 23 da CGPAR, que retira direitos dos trabalhadores das empresas estatais federais, como a Caixa. Além de tratar do déficit desse sistema.


Outro tema tratado durante o 36º Conecef foi a necessidade de defender a Funcef. Os delegados aprovaram manifesto em defesa do fundo ressaltando a necessidade de se restabelecer o respeito aos participantes ativos, aposentados e assistidos de todos os planos e benefícios. Esteve também na pauta do Congresso a questão da vida, uma luta diária para empregados Caixa, que têm feito grande resistência e reivindicado protocolos de segurança e condições de trabalho. Os empregados debateram ainda a defesa das empresas públicas e da aprovação do PL 2715/2020, que tramita na Câmara dos Deputados e propõe a paralisação das privatizações até um ano após o fim do estado de calamidade pública.

O principal fórum de debates e deliberações dos trabalhadores da Caixa debateu a defesa da Vida, da Democracia, das Empresas Públicas, dos Bancos Públicos e da Caixa 100% Pública. O evento discutiu ainda Saúde e Condições de Trabalho dos empregados, Saúde Caixa e Funcef.


Ao longo do Congresso virtual foram realizadas apresentações culturais e participação de diversos colegas.


A pauta de reivindicações foi aprovada em cima de três eixos:


• Defesa da Vida: Democracia; Empresas Públicas; Bancos Públicos; Defesa da Caixa 100% Pública

• Saúde: Saúde e Condições de Trabalho; Saúde Caixa; Funcef

• Direitos: CCT e ACT; Contratações.