441 bolsas para auxílio-educação ainda disponíveis

49

Representantes dos trabalhadores do Santander estiveram reunidos com o superintendente de relações sindicais do banco, Gilberto Trazzi, no dia 16/7, para avaliar o auxílio-educação e definir novos parâmetros para o segundo semestre de 2008. Ao todo, foram realizadas 1.208 inscrições em janeiro, de acordo com dados da empresa. Das 1.000 bolsas disponibilizadas, somente 559 foram contempladas. Foram rejeitados 649 pedidos.


O acordo realizado no início do ano previa que o auxílio-educação poderia ser desfrutado somente por bancários com mais de um ano na empresa. Ele valeria para a primeira graduação do funcionário e apenas para os cursos de Administração, Marketing, Ciências Contábeis, Tecnologia da Informação, Economia, Direito, Comércio Exterior e Matemática. O benefício garantiria o ressarcimento de até 50% do valor da mensalidade, com teto de R$ 300,00.


Na reunião do dia 16/7, ficou acordado que o funcionário será contactado, por escrito, num prazo de três dias, e saberá se sua solicitação foi aprovada ou não. Em caso de recusa, o banco se comprometerá em informar o motivo. Ficou acertado, também, que as inscrições estão abertas e não terão data limite para encerrar. O trabalhador que tiver efetuado o pagamento da mensalidade em até 30 dias anteriores à inscrição junto ao RH, será ressarcido. O funcionário que deseja se inscrever deverá preencher o formulário eletrônico disponível na Intranet (Meu Banco – RH – Bolsa Auxílio-Estudo). Será enviado um relatório mensal contendo o número de inscritos, bolsas concedidas e recusadas, bem como o motivo da recusa.


O diretor do Sindicato dos Bancários e funcionário do Santander, Aílson Duarte, ressalta que o acordo de auxílio-educação só está garantido até dezembro de 2008, quando encerra o acordo. “Por isso, precisamos da participação e da mobilização para manutenção e ampliação da conquista no futuro”, diz.