5° Congresso do MST sobre justiça social e soberania popular

15

Entre os dias 11 e 15/6, em Brasília, será realizado o 5º Congresso Nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) que vai debater, entre outros temas, um programa novo de reforma agrária.


O movimento entende que reforma agrária não é apenas pegar um grande latifúndio, dividi-lo em lotes e largar lá os pobres do campo para que se virem. A reforma agrária ficou mais complexa porque o capital estrangeiro, as transnacionais, os grandes grupos econômicos tomaram conta da agricultura, visando exportar matérias-primas para produzir celulose e energia, destinados ao seu modo de consumo. No entanto, mais do que nunca é necessária uma reforma agrária com a reestruturação não só da concentrada propriedade da terra no Brasil, mas do jeito de produzir, afirmam os organizadores do evento.


O MST prega uma reforma agrária que deve começar com a democratização da propriedade de terra, mas que organize a produção de forma diferente. Priorizando a produção de alimentos para o mercado interno, combinada com um modelo econômico que distribua renda.


Cerca de 17,5 mil participantes, trabalhadores rurais sem terra, delegados e observadores internacionais estão sendo aguar- dados para o Congresso, que conta com o apoio político e financeiro do SEEB/CE.