5º Fórum Sindical inicia negociação específica local

32

  

Na terça-feira, 30/8, o Sindicato dos Bancários do Ceará promoveu a 5ª Reunião do Fórum Sindical com o Banco do Brasil para discutir questões de interesse dos funcionários do BB. O Fórum Sindical é uma instância local de discussão entre o Sindicato e os órgãos que compõem o Banco do Brasil no Estado do Ceará (Gepes e Superintendência Estadual), estabelecida para tratar as demandas de âmbito local.


Estiveram presentes diretores do Sindicato, delegados sindicais, o superintendente estadual do BB, Luís Carlos Moscardi, o gerente regional da Gepes, Luís Costa e o gerente executivo da Diretoria de Relações com Funcionários (Diref), José Roberto Mendes do Amaral, de Brasília, que representa o BB na mesa de negociação com o Sindicato. “Dessa vez, o Fórum foi ampliado. Nós ainda discutimos assuntos do âmbito nacional e a própria estrutura do banco”, explica Gustavo Tabatinga, diretor do SEEB/CE e funcionário do BB.


O objetivo da reunião foi divulgar a Campanha específica do Banco do Brasil, preparar as mobilizações dos funcionários para uma possível greve e responder a algumas indagações. “É importante aumentar a mobilização junto aos delegados sindicais, pois eles poderão transcrever em seus locais de trabalho a experiência do 5º Fórum”, diz Gustavo, destacando a importância de escutar do negociador patronal, José Roberto, “algumas questões que nos ajudam a mobilizar ainda mais para a campanha, já que percebemos, pelo discurso dele, que a campanha não será fácil”.


Em um primeiro momento do encontro, o diretor do SEEB/CE e funcionário do BB, José Eduardo, apresentou a organização do que foi construído pelos trabalhadores em 2011 – comparativo entre os últimos cinco anos –, o calendário traçado pelo Comando Nacional dos Bancários e a perspectiva do envolvimento dos bancários para conseguir seus objetivos. “Fizemos essa apresentação para explicar como nos organizamos”, disse o diretor. No segundo momento, José Eduardo e a técnica do Dieese, Sílvia Helena, apresentaram a minuta de reivindicação específica em comparação ao que já está contratado em ACT ou CCT. Todos os materiais apresentados, minuta e resoluções do Congresso, estão no site do Sindicato

(www.bancariosce.org.br).


No momento das intervenções, delegados sindicais e diretores trataram sobre diversos assuntos, entre eles: seis horas, (des)comissionamento, verba de aprimoramento, organização dos bancários para possível greve, curso de formação, segurança e saúde bancárias, lei dos biombos, metas abusivas, novos funcionários, projeto BB 2.0, ambiência das agências, processos administrativos, lateralidade, PCR, PCS, GDC e responsabilidade com as senhas. O diretor do Sindicato e funcionário do BB, Bosco Mota, destacou a questão da segurança bancária: “não podemos fazer economia para salvar vidas”. Uma reunião organizativa, sugerida pelo bancário Carlos Alberto (BB-Maracanaú), foi marcada para o dia 17/9.


O superintendente estadual, Luís Carlos Moscardi, ratificou o compromisso com o Sindicato de manter o diálogo através desses encontros. “Gostaria de enaltecer a postura dos dirigentes, porque assim estamos indo pelo melhor caminho para resolver nossos problemas. O diálogo é o caminho mais curto”, disse.


José Roberto Mendes do Amaral, gerente executivo de relações com os funcionários, falou da importância de reuniões dessa natureza. “Ficamos felizes de ver isso acontecer. O Sindicato dos Bancários do Ceará não abre mão de suas convicções, mas sabe sentar com a representação da empresa. Parabéns por esse comportamento”, disse, sendo reforçado por Luís Costa, gerente regional da Gepes: “são nesses espaços de diálogo e de compreensão que, desde o ano passado, estamos chegando a um bom termo”.