ACT 2016-2018 garante reajuste acima da inflação para empregados

39


Conquista do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2016-2018, os empregados da Caixa Econômica Federal tiveram os salários reajustados acima da inflação no dia 1º de setembro. O percentual é formado pelo INPC/IBGE de setembro do ano passado e agosto de 2017, acrescido de 1% de ganho real. O mesmo vale para todas as verbas, como Participação nos Lucros e Resultados (PLR), piso salarial, vales e auxílios.


Quanto à PLR, a Caixa tem até 30 de setembro para pagar a 1ª parcela, correspondente a 60% do total, mas as entidades representativas já solicitaram a antecipação. No banco, o valor é composto pela regra básica Fenaban (90% do salário base), parcela adicional (2,2% do lucro líquido dividido pelo número total de empregados em partes iguais) e PLR Social (4% do lucro líquido, distribuídos linearmente para todos os trabalhadores). Também conforme o ACT 2016-2018, está garantida uma remuneração base para todos os empregados.


A luta contra retrocessos e por novos avanços segue na mesa de negociações permanentes. Embora haja uma intransigência total da direção do banco, a representação dos empregados tem debatido temas como GDP, RH 037, reestruturação, fechamento de agências, redução do quadro de pessoal, contencioso da Funcef e ataques ao Saúde Caixa. Tudo isso alinhado à defesa da Caixa como banco 100% público e social.


“O governo golpista já anunciou que os funcionários de bancos públicos serão os únicos que terão reajustes acima da inflação, graças a nossa CCT de dois anos assinada no ano passado. Por não termos que brigar pelo reajuste, conseguiremos fazer uma campanha este ano em defesa do emprego e de direitos”
Marcos Saraiva, diretor do Sindicato dos Bancários do Ceará e da Fenae