Adeus Mandela: morre um grande líder

8


Preso por 27 anos por lutar por democracia e liberdade, igualdade de direitos e pelo fim do regime de segregação racial na África do Sul – o Apartheid – que vigorou no país de 1948 a 1993, Mandela sempre resistiu e não trazia consigo qualquer ódio ou rancor, apenas o ideal de uma sociedade livre e democrática, onde todas as pessoas pudessem viver juntas, em harmonia, com oportunidades iguais.


Sua dedicação de uma vida inteira à luta é exemplo e símbolo para o mundo. Seu legado estará sempre vivo, revigorando dia a dia nossa luta incansável por justiça, por um mundo melhor, onde as pessoas possam viver com dignidade por serem iguais.


Personalidade exemplar, Nelson Mandela sai da cena da vida deixando uma história de sacrifício, fé, determinação e amor à sua nação e ao continente explorado e humilhado por colonizadores brancos, mas deixa um legado marcante na História da Civilização. Líder nato, lutou, em desigualdade, contra a exploração, a intolerância e o racismo do sistema opressor colonialista inglês implantado durante quase 60 anos em sua terra, a África do Sul.


A luta pela liberdade e o fim do regime segregacionista chamado “apartheid” – sistema racista implantado pelo governo britânico em 1948 – o levou à prisão, mas, em resposta, o elevou a condição de herói de todo o povo nascido na África.


Ainda existem opressores e oprimidos, discriminação racial e intolerâncias sociais em todo o mundo.  Mas o legado de Mandela nos dá força para continuarmos a luta contra as desigualdades, em defesa de uma sociedade justa, com liberdade e democracia.


Nelson Madiba Mandela, com sua resistência e determinação em defesa de um mundo melhor, sintetiza os valores mais preciosos que um ser humano é capaz de ter. “Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar” (Nelson Mandela).