Agências paralisadas em Fortaleza no Dia Nacional de Luta contra demissões

4


Os bancários do Itaú indignados com as demissões injustificadas realizadas pelo banco, estão mobilizados e paralisaram na quinta-feira, 17/11, quatro agências no Centro de Fortaleza. Apesar do lucro de R$ 16,3 bilhões nos primeiros nove meses de 2016, o Itaú continua fechando agências e demitindo funcionários. Em todo o País, foram cortados 2.753 postos de trabalho e fechadas 207 agências nos últimos 12 meses.


Estancar essas demissões injustificadas, que o Itaú vem praticando, diante de uma alta lucratividade é o objetivo das paralisações das unidades na capital cearense, segundo os dirigentes do Sindicato dos Bancários do Ceará.


E para comprovar que não tem justificativas essas demissões, o diretor do Sindicato e representante da Fetrafi/NE na COE Itaú, Ribamar Pacheco lembra o que banco vem propagando sobre sua compra dos ativos do varejo do Citibank, num investimento de R$ 2 bilhões e já está disputando, para diversificar sua atuação, a compra da BR Distribuidora, que é detentora de 35% da distribuição de combustíveis no País.


A pedido da Contraf-CUT, haverá reunião com o Itaú no próximo dia 30, pois o banco havia se comprometido discutir a questão do emprego a cada três meses. A entidade quer todos os dados e uma resposta sobre o que vem acontecendo, com relação as demissões.


“Nós bancários do Itaú, indignados com essa postura do banco paralisamos as atividades no Dia de Luta, para deixar claro que não iremos ficar passivos a crueldade do banco em demitir pais e mães de família, que colaboraram com seus esforços para a alta lucratividade do mesmo. Cadê a responsabilidade social do Itaú”

Ribamar Pacheco, diretor do Sindicato e representante da Fetrafi/NE na COE Itaú