Anestesiologistas e planos de saúde entram em acordo

29

Sob a iniciativa do Sindicato dos Bancários do Ceará e entidades representativas dos usuários dos planos de saúde de recorrer ao Ministério Público, a Coopanest-CE (Cooperativa dos Médicos Anestesiologistas do Ceará) recuou da decisão de paralisar o serviço de anestesia caso suas reivindicações não fossem atendidas. Na terça-feira, 24/5, a Unidas (União Nacional das Instituições de Autogestão em Saúde – que entre os bancários engloba Cassi, Camed e Saúde Caixa) e a cooperativa ratificaram o acordo firmado no dia 13/5 junto ao órgão mediador.


As negociações se referiam às condições e ao valor da remuneração dos serviços, até então, definidos pela 3ª edição da CBHPM (Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos). A Coopanest reivindicava as atualizações da 6ª edição da tabela, sob a ameaça de suspender os atendimentos anestesiológicos aos usuários dos planos. Na audiência com o MP ficou acertada a utilização da 5ª Edição plena da CBHPM nos procedimentos realizados a partir de 1º de maio de 2011 e que não haverá suspensão dos serviços.


“Mais uma vez, o Sindicato, na vanguarda do movimento, conseguiu estar atento às questões para além da Campanha Salarial, de interesse dos bancários e da sociedade”, saudou Gustavo Tabatinga, diretor do Sindicato, funcionário do Banco do Brasil e um dos incitantes da ação, lembrando ainda que o papel do Sindicato foi determinante, pois a paralisação dos serviços teria início no dia da primeira audiência, 13/5.