Apesar do lucro recorde, Bradesco demite 944 bancários no trimestre

5


Apesar do lucro recorde, o Bradesco continua demitindo funcionários e eliminando postos de trabalho. O banco divulgou lucro líquido ajustado de R$ 3,47 bilhões no primeiro trimestre de 2014, um crescimento de 18% em relação ao mesmo período de 2013. É o maior lucro para um primeiro trimestre na história da instituição, segundo levantamento da consultoria Economática.


Também no 1º trimestre, o Bradesco fechou 944 empregos, o que representa o corte de 3.248 vagas nos últimos 12 meses. O quadro de pessoal caiu de 102.793 funcionários em março de 2013 para 99.545 em março deste ano, segundo análise da Subseção do Dieese da Contraf-CUT com base no balanço do banco. A rentabilidade foi de 20,5%, o que representa uma elevação de 1,00 ponto percentual sobre o mesmo período do ano passado.


Critica o diretor do Sindicato dos bancários do Ceará, Telmo Nunes: “não podemos aceitar que, com esse imenso resultado, o Bradesco feche postos de trabalho e faça rotatividade de mão de obra, andando na contramão da economia brasileira. Mais uma vez, o Bradesco exibe um balanço recheado de muito lucro, mas ficou devendo novamente contrapartidas sociais, como a geração de empregos e a valorização dos seus funcionários”.


O índice de inadimplência superior a 90 dias apresentou queda de 0,6 ponto percentual, ficando em 3,4% no 1º trimestre do ano. A receita com prestação de serviços mais a renda das tarifas bancárias subiu 15,1% em 12 meses, atingindo R$ 6,238 bilhões. Enquanto isso, as despesas de pessoal subiram apenas 7,2%, ficando em R$ 3,279 bilhões. Com isso, a coberturas dessas despesas pelas receitas de serviços e tarifas subiu de 147,37% para 158,28% no primeiro trimestre do ano.


__________


“Todo esse crescimento do lucro e das operações do banco implica em aumento de serviços e, com menos funcionários, significará mais sobrecarga e piores condições de trabalho, afetando a saúde dos bancários e a qualidade de atendimento dos clientes”

Telmo Nunes, diretor do Sindicato e funcionário do Bradesco