Após cobrança dos trabalhadores, BB recua e retoma posse de concursados

27


A pressão da Contraf-CUT, que remeteu carta na quinta-feira (11/10) à direção do Banco do Brasil reivindicando que o BB reveja a posição de suspender a posse dos concursados, surtiu efeito. Em resposta enviada na segunda-feira (15/10), o banco anunciou que “as convocações e posses de concursados estão em seu curso normal”, ou seja, o banco irá retomar a nomeação dos aprovados nos concursos. Aqueles que deveriam tomar posse até outubro irão ser empossados no mês de novembro.


“O recuo do BB é importante e atende à reivindicação do movimento sindical, que criticou duramente a suspensão das convocações dos concursados, muitos já em processo final de qualificação e com data de posse agendada”, afirma William Mendes, secretário de formação da Contraf-CUT e coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB.


“Com isso, o BB corrige uma injustiça que afetou muitos concursados. Além disso, a medida prejudicava a atuação do banco, neste momento de expansão do crédito, política de queda de juros e tarifas, captação de três milhões de novos clientes, ampliação do atendimento nas agências com o programa Bompratodos e redução do número de caixas nas agências desde a implantação das Plataformas de Suporte Operacional (PSO)”, explica William.


Para o diretor da Contraf-CUT, “a expectativa dos funcionários é de que o BB amplie a nomeação de concursados e aumente as dotações de pessoal das agências, diante do enorme crescimento da massa de serviços, gerando mais empregos, melhorando as condições de trabalho e investindo na qualidade de atendimento aos clientes e à população, como forma de fortalecer o papel do BB como banco público a serviço do desenvolvimento econômico e social do País”.


O presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará, Carlos Eduardo Bezerra, ressalta que esta foi mais uma importante conquista dos trabalhadores. “Nós sempre lutamos por mais contratações e não podemos admitir que hajam concursados para tomar posse e o banco não encaminhe esse processo. O BB precisa de novos bancários para atender com dignidade à população, assim como para melhorar as condições de trabalho dos bancários que estão sobrecarregados com a demanda”, disse.


A decisão de suspender as convocações de concursados foi anunciada pelo banco no dia 4/10, mesmo dia da assinatura do acordo coletivo específico entre o BB e a Contraf-CUT, as federações e os sindicatos de bancários. “Desde então, os trabalhadores vinham pressionando para reverter essa situação que prejudica concursados, bancários e a própria sociedade e entendemos essa mudança de postura de BB como uma importante conquista para todos”, conclui Carlos Eduardo.