Após pressão dos bancários, banco agenda negociação para dia 18

28

Depois da pressão da Contraf-CUT, entidades sindicais e parlamentares, o Santander Brasil decidiu retomar o processo de negociações com os trabalhadores e marcou nova rodada para esta quarta-feira, dia 18/11, das 13h às 16h30, em São Paulo. Estará em discussão a minuta de reivindicações dos funcionários do grupo, rumo ao Aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) 2009/2010 e ao Acordo do Programa de Participação nos Resultados (PPR) referente ao exercício de 2009.


Além de marcar nova reunião, o banco comunicou a prorrogação dos aditivos do Santander e Real, vencidos no último dia 30/10, até o próximo dia 30/11. A medida também havia sido reivindicada pela Contraf-CUT e entidades sindicais.


A retomada das negociações foi reforçada durante a audiência pública promovida quinta-feira, dia 5/11, na Câmara Federal, por iniciativa da deputada federal Emília Fernandes (PT-RS). Na oportunidade, o representante do Santander afirmou que o banco está disposto a negociar.


Para o diretor do Sindicato dos Bancários do Ceará e funcionário do Santander, José Roberval Lopes, “é muito importante a retomada das negociações, visto tratar-se de uma conquista dos trabalhadores do banco. Agora esperamos que o Santander vá para a mesa disposto a atender às nossas reivindicações”.


A minuta contendo as reivindicações foi entregue no dia 1º/9. A rodada marcada para o dia 22/10 foi cancelada pelo banco no início da noite do dia anterior e, desde então, o processo de negociações estava interrompido. No mesmo dia da negociação, a Contraf-CUT promove reunião das Comissões de Organização dos Empregados (COE) do Santander e Real.

Veja as principais reivindicações específicas:


• garantia de emprego


• centro de realocação profissional


• permanência da licença remunerada pré-aposentadoria (pijama)


• ampliação dos incentivos para aposentadoria


• melhoria das condições de trabalho


• manutenção do patrocínio ao Banesprev, HolandaPrevi e Bandeprev


• eleições para representantes dos participantes no HolandaPrevi e Sanprev


• manutenção do patrocínio da Cabesp


• aumento das bolsas de auxílio-educação


• elevação do auxílio-academia


• auxílio ao estudo de idiomas


• bolsa de férias, a exemplo da Espanha


• auxílio para certificação da Anbid


• prêmio de dois salários aos 25 anos de banco para todos os funcionários


O Santander é o único banco privado que possui aditivo à convenção coletiva. O instrumento é fruto dos acordos negociados com o banco após a privatização do Banespa e apresenta vários avanços além das conquistas gerais dos bancários. Já o PPR representa mais uma forma de remuneração para os trabalhadores do banco.