Após ser pressionado, ABN/Real marca negociação para o dia 20/12

16

Depois da pressão da Contraf-CUT, o ABN/Real aceitou retomar as negociações permanentes com os bancários, interrompidas desde o final de junho por causa da Campanha Nacional. A primeira rodada de negociações está marcada para o dia 20/12, às 14h, conforme reivindicado pelos trabalhadores.

O acesso à informação sobre Emprego e Salários e o estabelecimento de um cronograma de negociações para 2007 serão discutidos na reunião. Além das vá-rias pendências para resolver, a solução para o fim das distorções salariais, com um realinhamento para os sub-gerentes, gerentes de relacionamento, supervisores de operações e funcionários do Call Center e dos prédios administrativos serão os pontos principais.

Entre as reivindicações dos bancários estão ainda a isonomia para os trabalhadores afastados, a abertura para participação dos bancários na gestão do plano de saúde, a criação de um programa de prevenção e reabilitação, melhoria na segurança, correção nas distorções salariais (definição de um valor mínimo para cada função), critérios mais justos para a distribuição da PPR, fim dos projetos Arte e 2 x 1, mais contratação de bancários, fim da terceirização, cartão de ponto para os gerentes, respeito à jornada de trabalho de 6 horas, discussão sobre política de estágio no banco, além da participação na gestão do Holandaprev e restabelecimento urgente do diálogo e das negociações sobre a Bandeprev.

Safra – Os bancários do Safra e do J. Safra irão receber R$ 1.500,00 referente ao valor adicional à PLR, no dia 20/12, independente do lucro da instituição. O depósito deveria ser efetuado até o dia 2 de março. Esse valor é o teto da regra que atrela o pagamento do valor adicional da PLR ao lucro do banco. A série de discussões que tiveram início logo a pós a campanha nacional da categoria também garantiu a bolsa de estudos 50% custeada pelo banco. Além do auxílio-educação, os trabalhadores conquistaram também empréstimo consignado e auxílio-casamento.