Assaltos a bancos voltam a assustar o interior do Estado

20

O assalto ao caixa forte do Banco do Brasil do município de Quixadá (167 km de Fortaleza) lembrou uma ação cinematográfica. O bando usou uma galeria da rede de esgoto da cidade como túnel e a partir dali teve acesso à sala do cofre do banco. De acordo com a Polícia, o valor levado deve chegar a casa de um milhão de reais.


Para desenvolver o plano, o grupo alugou um imóvel a dois quarteirões do banco, onde seria construído um lava-jato. Ali cavaram um buraco que deu acesso à rede de esgoto do município. Outro buraco foi cavado da galeria ao cofre da unidade bancária. Na ocasião, o cofre estava abastecido com o dinheiro de todos os outros bancos da cidade, e, de lá, seria repassado para as respectivas unidades na manhã do dia seguinte.


A questão da segurança nas agências do Interior desperta preocupação. Casos como esse provocam temor na população, mas não parecem despertar qualquer comoção nas direções dos bancos ou mesmo no poder público.


O diretor do Sindicato dos Bancários do Ceará e funcionário do BB, Bosco Mota, visitou a agência de Quixadá e destacou o clima de medo após os assaltos. “O Sindicato vai cobrar do Estado uma segurança pública eficaz e uma atenção maior para os casos do Sertão Central. As pessoas estão aterrorizadas”, ressaltou.

PROFISSÃO PERIGO – O caso do BB de Quixadá, apesar de seu caráter cinematográfico, não pôs em risco direto a vida dos bancários. No entanto, isso não tem sido regra na maioria dessas ações criminosas. No último dia 22/2, em Novo Oriente (a 393 km de Fortaleza), uma quadrilha armada sequestrou dois funcionários do Banco do Brasil da cidade. Os assaltantes invadiram a casa dos bancários e fizeram suas famílias de reféns. Eles foram levados ao banco e obrigados a abrir a tesouraria. Entretanto, os bandidos tiveram que fugir às pressas porque o alarme da agência disparou. Já no Centro de Fortaleza, na quarta-feira de Cinzas, dia 25/2, uma tentativa de assalto do tipo “chegadinha” (quando o cliente está chegando ao banco para depositar dinheiro), terminou com um tiroteio entre um dos bandidos e um vigilante da agência do HSBC, na Rua Major Facundo. Os assaltantes fugiram sem conseguir levar o dinheiro da vítima. Também no dia 25/2, no município de Cruz (258,5 km de Fortaleza), um homem armado invadiu a agência do Banco do Brasil, rendeu os dois vigilantes e depois, seguiu até a bateria de caixas e fugiu levando R$ 70 mil. Conforme apurou a Polícia, o assaltante fugiu numa moto preta na companhia de outro homem, que ficara aguardando fora do banco.


Somente em 2009 já foram oito ações diretas contra agências bancárias no estado do Ceará (veja quadro). “O Sindicato dos Bancários vai cobrar do poder público e dos banqueiros providências urgentes para garantir a segurança de funcionários, clientes e usuários e até mesmo da população que transita pela rua, que acaba virando alvo de assaltantes durante as fugas”, afirmou o presidente do Sindicato, Marcos Saraiva. E ele completa: “a situação no Interior é muito grave e as quadrilhas se dirigem para essas cidades porque conhecem a fragilidade da segurança nas agências. É preciso que os banqueiros, que lucram tanto cobrando altas taxas de juros da população e que exploram os bancários com metas abusivas, passem a investir um pouco desse dinheiro para preservar a vida de todos”, concluiu.

OCORRÊNCIAS NO CEARÁ EM 2009

QUIXADÁ – Um túnel foi descoberto, no dia 16/2, nas dependências do Banco do Brasil de Quixadá, no Sertão Central. De acordo com as primeiras estimativas, a quadrilha pode ter levado mais de R$ 1 milhão.

ICÓ – Quatro bandidos, com falsos uniformes da Polícia Federal, atacaram a agência do Banco do Brasil de Icó, no dia 9/2. Eles roubaram todo o dinheiro da unidade. A quantia roubada não foi revelada.

TAUÁ/IGUATU – Dois táxis transportando malotes das agências do Bradesco de Tauá e Iguatu foram assaltados no dia 9/2. No primeiro assalto, três homens levaram um malote de R$ 60 mil transportado por dois bancários de Tauá. Já no segundo caso, um funcionário de Iguatu e um taxista foram abordados por dois motoqueiros que fugiram levando o malote com R$ 30 mil.

PALHANO – No dia 30/1, quatro homens em duas motos entraram na agência do Banco do Brasil e anunciaram o assalto levando vários malotes de dinheiro.

FORTALEZA – Três homens armados assaltaram dia 9/1 o Banco Rural da avenida Santos Dumont, na Aldeota. Os assaltantes roubaram cerca de R$ 74 mil e renderam o gerente, um vigilante e um cliente.

JAGUARUANA – Seis assaltantes encapuzados invadiram o Banco do Brasil da cidade, agredindo várias pessoas que se encontravam na agência. Os assaltantes atiraram contra o gerente, que foi atingido no pé esquerdo. Os bandidos não tiveram tempo de roubar o cofre, mas carregaram o dinheiro que estava nos caixas de atendimento.