Assaltos aos PAs trazem preocupações à segurança do funcionalismo no Interior

23

Mais uma vez, os assaltos no interior ganharam os noticiários locais. Desta vez, contudo, o fato não ocorreu dentro das agências, mas no trajeto dos malotes às unidades bancárias. O transporte do numerário foi interceptado antes de chegar aos destinos: os municípios de Quiterianópolis e Acopiara. Os assaltantes levaram R$ 90 mil.


Em Quiterianópolis, o malote, contendo o valor R$ 60 mil em espécie, foi levado por três homens, conforme informou a Polícia. Dois foram presos.


Já no município de Acopiara, o que chamou a atenção foi a ousadia dos assaltantes. Além de anunciarem o assalto, eles renderam, amarraram e trancaram o funcionário do Bradesco e o taxista no porta-malas do táxi. Logo depois, fugiram levando R$ 30 mil.


Os casos de Quiterianópolis e Acopiara chamaram atenção para a segurança dos funcionários no Interior e levam à reflexão sobre as condições de trabalho dos bancários naquela região.


O Sindicato dos Bancários do Ceará (SEEB/CE) visitou os postos de atendimentos (PAs) do Bradesco em todo o Estado e encontrou péssimas condições de trabalho.


Os dirigentes sindicais denunciaram que alguns PAs não possuem câmeras de segurança, sistema de alarme ou porta giratória. Verificaram também uma extrapolação da jornada de trabalho, onde, em muitos postos de atendimento, apenas um bancário está na incumbência de todo o serviço.


O SEEB/CE vai formalizar uma denúncia ao Ministério Público do Trabalho e à Polícia Federal sobre as questões do transporte irregular e numerário, bem como às condições de trabalho nos PAs.