Assédio moral na agência Dom Luís

26

O Sindicato dos Bancários do Ceará e Associação do Pessoal da Caixa (APCEF/CE) fizeram reunião no último dia 18/5, com o Superintendente Odilon Pires e os gerentes regionais Adalfran Carneiro e Mario Augusto e o Assistente Administrativo, Josivan Josino, onde os dirigentes sindicais levaram uma denúncia da empregada lotada, na agência da Caixa Dom Luis, que sofreu assédio moral, por parte da ex-gestora daquela agência.


A empregada sofreu inúmeras pressões para que atendesse a intervenção direta do correspondente bancário, que atua naquela agência e em outras unidades da Caixa, nos serviços terceirizados.


É do conhecimento do Sindicato que esse correspondente bancário, através do seu representante, domina e corrompe várias agências com propostas de solução de problemas para cumprimento de metas, obrigando em algumas situações a tomada de decisões que ferem os normativos da Caixa.


Após o rodízio, o gerente geral recém-chegado a agência Dom Luis, Felipe Alves, após três dias na agência, retirou a função da empregada e a transferiu de forma arbitrária para agência Fortal, com o objetivo de forçar a empregada a pedir aposentadoria.


Entendemos que essa medida afronta todos os princípios de respeito e da ética entre os trabalhadores da Caixa. O gerente geral retirou a função da empregada antes de ter o devido tempo para uma avaliação dos empregados da nova agência que o mesmo está administrando.


O Sindicato entende que o grande motivador da retirada da função da empregada foi para atender o correspondente bancário, já que o mesmo quando queria praticar suas interferências era impedido por não ter a colaboração da empregada que é técnica de fomento de habitação e que não concordava com essas práticas.


Como a transferência da empregada geraria a perda de um posto de trabalho para a agência, o gerente geral está obrigando o retorno dela para a unidade, sem a função e para ficar sob o julgo do seu chicote, mas o objetivo é forçar a empregada a pedir aposentadoria precoce.


O Sindicato está encaminhando junto ao Comitê de Ética da Caixa e junto à Delegacia Regional do Trabalho uma cobrança diante dessa política de assédio moral feita pela gestão anterior e atual da agência Dom Luis.