Assembléia aprova acordo geral do BNB e negociações específicas continuam

53

Por ampla maioria, em assembléia realizada na terça-feira, dia 16/10, os funcionários do BNB no Ceará aprovaram a proposta apresentada pelo banco na negociação que aconteceu à tarde, na sede do Sindicato. A próxima rodada de negociação entre a CNFBNB/Contraf-CUT e a direção do Banco, acontece dia 25/10 (quinta-feira), onde deverá ser tirada uma data para assinatura do acordo.


Durante a negociação, o banco afirmou ter chegado ao limite máximo no que diz respeito a PLR, mas por pressão da Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB/Contraf-CUT), se obteve a extensão do adiantamento de férias para os novos funcionários e a manutenção das cinco folgas anuais sem a proibição de conversão em pecúnia. A proposta garante ainda o abono integral das faltas decorrentes de greve até o dia 16/10/2007.

Na negociação, o banco apresentou ainda uma proposta de composição especial de dívidas com origem no crédito comercial para funcionários, ex-funcionários, aposentados e pensionistas, com carência de 60 dias, para dívidas contraídas até 30/09/2007, com saldo devedor do dia da opção, cujo prazo para adesão conta 90 dias a partir de 16/10. O parcelamento pode ser feito em até 38 meses e, em casos que a parcela comprometer mais de 30% da renda líquida do funcionário, poderá ser estendido até em 60 meses. A taxa de juros será de aproximadamente 1,10% ao mês e o banco vai garantir o limite mínimo do cheque especial (R$ 200,00).


Com a aprovação da proposta, o banco se compromete a realizar os pagamentos das diferenças de acordo com o calendário abaixo:


• Reajuste de 6% já na folha de outubro/2007;


• Pagamento das diferenças salariais retroativas a 1º/9 – 26/10;


• Pagamento das diferenças dos tickets de setembro e outubro e 13ª Cesta-alimentação – 30/10;


• Adiantamento da PLR – 31/10.


A proposta do BNB prevê ainda uma cláusula de negociação permanente para tratar de melhorias contínuas para o funcionalismo, por meio de grupos de trabalho e negociações com o banco: Plano de Previdência Complementar; grupo de trabalho para estudar custeio da Camed e Fundo de Custeio à Saúde; revisão do PCR e da sistemática das diárias de serviço e alterações no Plano de Funções.

CONFIRA A ÍNTEGRA DA PROPOSTA


• Reajuste de 6%, aplicado a todas as verbas salariais;

• Auxílio-Creche – de R$ 171,13 para R$ 181,40;

• Auxílio-Bolsa de Estudo para Filho Excepcional – de R$ 187,65 para R$ 198,91;

• Auxílio-Cesta de Alimentação – de R$ 238,05 para R$ 252,36;

• 13ª Cesta Alimentação, no valor de R$ 252,36;

• Auxílio-Refeição – de R$ 13,89 para R$ 14,72 por cartão, sendo 22 cartões por mês, totalizando R$ 323,84;

• Indenização por morte ou invalidez permanente em decorrência de assalto – de R$ 77.747,00 para R$ 82.411,82;

• Auxílio-Material Escolar, de R$ 145,91 para R$ 154,65;

• Adiantamento de Férias – O banco seguirá a mesma proposta do Banco do Brasil, estendendo o Adiantamento de Férias para todos os empregados;

• PLR: O banco mantém o compromisso de seguir a regra de distribuição da Fenaban, até o limite de 9% do lucro líquido;

• Antecipação da PLR: Distribuição de 9% do lucro líquido do primeiro semestre, o que dá o montante de R$ 6.882,8 mil (seis milhões oitocentos e oitenta e dois mil e oitocentos reais), com a seguinte forma de distribuição:

– 50% da parte fixa (R$ 878,00) para todos os funcionários, ou seja: R$ 439,00.

– O restante que sobrar do montante (R$ 6.882,8 mil) será distribuído proporcionalmente ao salário, o que significa, somando a parcela fixa e a variável, um percentual do salário bruto entre 24% e 61%.