Assembleia aprova alterações no Estatuto do Sindicato

7


“Hoje é um dia histórico para o Sindicato”. Com essa frase, Carlos Eduardo Bezerra, presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará, encerrou a assembleia extraordinária, realizada na sexta-feira, dia 21/3, com a participação de 485 trabalhadores do ramo financeiro, quando foi aprovada, por ampla maioria, as alterações no Estatuto do Sindicato. Durante a assembleia, houve defesa de prós e contra à reforma do Estatuto. Posto em votação, o “sim” prevaleceu.


A direção do Sindicato cumpre assim uma promessa de campanha eleitoral e faz reformulações no Estatuto como a necessidade de adequações ao Código Civil e às normas e portarias do Ministério do Trabalho e Emprego. Criado em 1958 e alterado em 1991, após 23 anos, o Estatuto necessitava adequar-se às mudanças na legislação trabalhista do Brasil.


Além disso, o Estatuto aprovado adequa a estrutura do Sindicato à do movimento sindical brasileiro, sua organização classista por  ramo; altera o nome do Sindicato para  Sindicato dos Trabalhadores em Empresas do Ramo Financeiro no Estado do Ceará (SINTRAFI-CE); a inclusão de municípios que não existiam em 1991 e a inserção de outros trabalhadores do ramo financeiro, além dos que já existem, como das cooperativas de crédito, casas de câmbio e os empregados de empresa de compra e venda de títulos mobiliários.


Para Carlos Eduardo Bezerra, “essa mudança tem consonância com o sindicalismo do momento, pois entidades como a Contraf, CUT e a Fetrafi/NE são organizadas por ramos, com representação desses trabalhadores política e juridicamente”.


No Estatuto aprovado fica criado também o Conselho de Delegados Sindicais, agora abrangendo eleição de um delegado sindical por agência, tanto nos bancos públicos, como nos bancos privados.  “Isso vai nos ajudar na mobilização, na luta, nas greves. Esse enfrentamento não interessa ao patronato”, disse Carlos Eduardo.


Outro item da reforma estatutária é a criação de representação da organização do Sindicato junto à Federação, que vai trazer maior qualidade à luta e discutir regionalmente as questões da categoria. Além disso, o Estatuto aprovado cria uma Secretaria da Igualdade e da Diversidade, para dar atenção às demandas de política de gênero e no campo da diversidade, de combate ao racismo e qualquer manifestação contra etnia, religião ou orientação sexual.


==============================

Essas mudanças adequam o Sindicato, dando mais representatividade, democracia, e garantem a sua atuação. As alterações potencializam a presença do Sindicato cada vez mais próximo da categoria e das suas reivindicações, bem como da sociedade, seja para discutir com o patronato, seja para discutir com os outros atores sociais. A assembleia foi importante porque foi massiva, com bancários de todos os bancos e trabalhadores do ramo financeiro, que deliberaram sua vontade livremente”, Carlos Eduardo Bezerra, presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará