Assinatura do Acordo do BNB garante conquistas importantes e o imediato pagamento da PLR

4


A Contraf-CUT assinou na segunda-feira, 21/10, na sede administrativa do Passaré, o acordo coletivo dos funcionários do Banco do Nordeste do Brasil (BNB). Respondendo a ofício da Contraf-CUT, durante a cerimônia de assinatura, o presidente do BNB, Ary Joel Lanzarin, anunciou o pagamento da antecipação de 70% da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) a ser creditado de forma imediata.


“Pela primeira vez, o Banco do Nordeste do Brasil autoriza o pagamento da antecipação da PLR imediatamente após a assinatura do acordo aditivo, o que nós consideramos um avanço importante. Até bem pouco tempo atrás, o BNB assinava o acordo meses depois dos demais bancos federais e a PLR sempre era rebaixada. Além disso, conquistamos uma antecipação de 70% do valor a ser pago a título de participação nos lucros”, ressaltou o vice-presidente da Contraf-CUT, Carlos Souza.


O aditivo do BNB prevê piso de R$ 2.043,36 para os integrantes do Plano de Cargos e Remuneração (PCR) e de R$ 1.148,97 para quem não integra o plano. As diferenças resultantes do reajuste de 8% também foram pagas no dia 21/10.


A Contraf-CUT já cobrou do BNB que a falta da greve no dia 15/10 seja incluída na compensação dos dias parados, conforme estabelece a regra definida na negociação junto à Fenaban, que prevê no máximo uma hora a mais de trabalho por dia, de segunda a sexta-feira, até 15 de dezembro. O banco ainda não respondeu.


Conquistas da luta – Com os 27 dias de greve, os bancários do BNB arrancaram 8% de reajuste (aumento real de 1,82%) sobre as verbas salariais; distribuição de 9% do lucro líquido a título de PLR, seguindo a regra da Fenaban; PLR Social de 3%; vale-cultura; compromisso de contratação de mais 850 funcionários até o final de 2014; instalação do ponto eletrônico até março/14; instalação de mesa temática sobre terceirização; reativação de comissão paritária sobre PCR; entre outras conquistas.


“É claro que todas essas conquistas, especialmente os avanços com relação à PLR, são importantes. Entretanto, muito há ainda para ser conquistado, como a revisão do PCR, melhorias na previdência, no plano de saúde e no plano de funções, valorização do piso, entre outras demandas. Afinal, nossa luta pela defesa e ampliação dos direitos dos trabalhadores é incansável e permanente”, conclui o coordenador da Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB), Tomaz de Aquino.


A assinatura do acordo coletivo dos funcionários do BNB contou com a participação do presidente do Banco, Ary Joel Lanzarin, além dos principais diretores da instituição, superintendentes e gerentes de ambiente. Pelo lado dos trabalhadores, compareceram o vice-presidente da Contraf-CUT, Carlos Souza, os presidentes das Federações do Nordeste, Carlos Eduardo Bezerra, da Bahia/Sergipe, Emanoel Sousa de Jesus, além dos presidentes e representantes de Sindicatos de todo o Nordeste.