Ataques a bancos no Interior do CE desafiam a Segurança

31

Clientes e bancários não têm mais sossego. Depois de Pedra Branca, Banabuiú, Novo Oriente, Aiuaba, Saboeiro e Nova Russas, dia 3/5 foi a vez da cidade de Orós (364Km de Fortaleza) tornar-se palco da ação violenta de uma quadrilha que vem atacando agências bancárias no Interior cearense. Foi o terceiro assalto em apenas quatro dias. O alvo foi o Banco do Brasil.


Repetindo o modo de agir, os assaltantes invadiram a cidade de Orós, por volta das 10h30 e chegaram ao banco atirando. Funcionários e clientes logo se transformaram em reféns. Os assaltantes destruíram as portas de vidro da agência e entraram no prédio. O gesto da quadrilha foi o mesmo que aconteceu no dia 29/4, nas cidades de Nova Russas e Saboeiro, onde a agência, na verdade, é um Posto Avançado de Atendimento (PAA) e está fechada, sem previsão para reabertura.


O diretor do Sindicato dos Bancários e funcionário do Banco do Brasil, Bosco Mota, destaca a importância da ação do Estado: “o governo tem que agir através das Polícias Civil e Militar e tomar as providências. Os bancos prestam um serviço público e é preciso segurança; enquanto o governo ficar nessa inércia, todo dia vai ter assalto”.


O SEEB já entrou em contato com os bancários de todas as unidades atingidas, no sentido de orientar os bancários quanto à emissão da CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho). Mota afirma que é esse documento que vai garantir os direitos do trabalhador se, em consequência do ocorrido no ambiente de trabalho, o bancário vier a ter problemas de saúde e precisar de se afastar. “Com a CAT, ele não perde o salário e nenhum dos benefícios, por isso, o Sindicato sempre orienta pela emissão”, afirma.

ATAQUE – Segundo apurou a Polícia, eram, pelo menos, cinco homens armados com fuzis, pistolas e escopetas. Eles chegaram na cidade de Orós a bordo do Gol branco, de placa HUV-3378 (Fortaleza). O ataque foi rápido, preciso e violento. Além de roubar o dinheiro que havia nos caixas, os ladrões agrediram os clientes que estavam junto aos caixas eletrônicos e tomaram também o dinheiro deles e objetos pessoais. A fuga foi em direção ao Município de Jaguaribe. Os seguranças da agência, identificados como Edinaldo Caetano da Silva e Francisco de Assis Ribeiro de Castro, foram levados como reféns, mas logo libertados. Na localidade de Sítio Canto do Juazeiro, no distrito de Feiticeiro, o grupo incendiou o Gol.

A HISTÓRIA SE REPETE – Este foi o oitavo assalto a banco no Ceará este ano, contra igual número de ataques nos quatro primeiros meses de 2009. O roubo ocorrido dia 3/5 reforça o fato que está sendo investigado pelas autoridades, a crescente ação de quadrilhas nas cidades interioranas, onde o aparato de segurança é precário e onde os bandidos têm facilidades para empreenderem fuga.


Na semana anterior, duas agências do BB foram atacadas pelos criminosos. Em Saboeiro, o bando estendeu sua ação para alguns estabelecimentos locais, entre eles, uma lotérica. Já em Nova Russas, os bandidos dispararam muitos tiros e fugiram com cerca de R$ 850 mil, conforme notícias extraoficiais.