Atendimento caótico nos PAA’s no interior do Ceará

6


Denúncias de várias agências do Banco do Brasil chegam diariamente ao Sindicato dos Bancários do Ceará, mas uma chamou a atenção, a dos PAA’s do BB no interior do Estado, pois a reclamação partiu tanto da população como dos bancários, sobre a superlotação das unidades e a total falta de estrutura para um bom atendimento. O drama atinge a maioria das unidades. Para piorar o quadro, existe o risco iminente de assaltos e há sucateamento dos equipamentos nos PAA’s.


Apurando as denúncias, o Sindicato constatou que a situação é caótica. Há problema sério de excesso de demanda e falta de funcionários. Muita gente humilde acaba voltando sem atendimento, pessoas que vem da zona rural, de lugares distantes e que demoram tanto esperando ser atendidas que acabam desistindo. Está um verdadeiro caos. Os PAA’s precisam de mais funcionários urgentemente ou sua transformação em agências.


“A população tem direito a um atendimento de qualidade e isso consta em lei. Os bancários fazem um grande esforço para atender com rapidez e qualidade as pessoas, mas é praticamente impossível oferecer essa qualidade diante da grande quantidade de pessoas e do quadro insuficiente de pessoal para atender a demanda”, disse o presidente do SEEB/CE, Carlos Eduardo Bezerra.


Riscos da extrapolação – Por conta desse número reduzido de pessoal, os bancários sofrem sobrecarga de trabalho e é constante a extrapolação de jornada. Os funcionários que extrapolam a jornada de trabalho, com a falsa ideia de estarem sendo solidários, não sabem que correm risco de demissão por justa causa exatamente pelo descumprimento da jornada, alerta o Sindicato. Os gerentes dos PAA’s, por sua vez, são verdadeiros escravos, pois além de todo gerenciamento da unidade, fazendo negócios, ainda são obrigados a cuidar da tesouraria.


O Sindicato denuncia o descaso da Superintendência Estadual do BB na solução desses problemas e exige o cumprimento da promessa de transformar os PAA’s em agências. É responsabilidade da Super/BB por fim ao caos instalado nas unidades do interior do Estado.


“Isso é uma pendência antiga. Nós vamos cobrar melhores condições de trabalho e funcionários para suprir a demanda dessas unidades, que é muito grande. O pessoal não pode ficar sobrecarregado desse jeito e nem a população pode ficar à mercê dessa deficiência no atendimento. Caso não sejam tomadas providências urgentes, o Sindicato vai tomar todas as medidas cabíveis para solucionar os problemas”, disse José Eduardo Marinho, diretor do Sindicato e funcionário do BB.