Audiência cobra adicional de PLR e volta da licença-prêmio

63

A Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB/Contraf-CUT) está solicitando uma nova audiência para o dia 26/7 com o presidente do banco, Roberto Smith. O objetivo é cobrar uma resposta sobre o adicional de PLR dos funcionários (R$ 1.000,00), além de apresentar ao banco uma proposta de retorno do benefício da Licença-Prêmio, mesmo que em outra formatação.


Desde a outra reunião realizada em abril passado não houve qualquer avanço quanto essas duas pendências, apesar de a CNFBNB vir cobrando um posicionamento da presidência do banco.


O banco alega em todas as negociações que não pode pagar o adicional de PLR em decorrência da limitação imposta pelo DEST do teto de uma “folha magra” para quitação da Participação nos Lucros e Resultados. “O limite, na verdade, vale para a própria PLR e quanto ao adicional, no nosso entendimento, o que vale é o que está escrito na Convenção Coletiva, que trata o adicional como verba à parte”, afirmou o coordenador da CNFBNB, Tomaz de Aquino.


Enquanto alega que não pode pagar o adicional de PLR dos funcionários, o banco realizou a reunião de gestores num hotel de luxo em Natal (RN), com todas as despesas pagas. “Não somos contra a realização da reunião que sabemos que é muito importante para discutir as ações do banco. O que recriminamos é que o banco faça tantos gastos quando o Centro Administrativo tem todas as condições para abrigar essa reunião e de forma contraditória, alega que não tem condições de pagar o adicional de PLR para o funcionalismo”, justificou Tomaz.