Aumento de escolaridade amplia mercado de trabalho formal, diz Ipea

19


O aumento da escolaridade contribuiu para a redução da informalidade no mercado de trabalho brasileiro nos últimos dez anos, informou o presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Marcelo Néri, no dia 26/11.


A informalidade, que havia crescido no País entre os anos 1990 e início dos anos 2000, voltou para o patamar do final da década de 1980, afirma o instituto. Confirmando a tendência, o emprego formal dobrou nos últimos oito anos e, atualmente, o País gera 1,5 milhão de empregos por ano.


Durante seminário sobre a formalização da economia, na sede do Ipea, no Rio de Janeiro, Néri disse ainda que na década de 1990, 16% das crianças entre 7 e 14 anos estavam fora da escola. Na primeira década do século 21, esse número caiu para 4% e, dez anos depois, a porcentagem não chega a 2%.


Mesmo com as oscilações na economia, a formalização do trabalho tende a crescer com o passar dos anos. “O Brasil viveu durante muitos anos oscilações. A economia crescia em um ano e decrescia em outro. A desigualdade caiu muito no Plano Cruzado e depois voltou a aumentar. A formalidade permanece forte e eu acho isso algo surpreendente”, ressaltou o presidente do Ipea.