Aumento real mostra força dos trabalhadores

17

Na última quarta-feira, dia 18/10, os sindicatos filiados à Contraf-CUT e a Fenaban assinaram a Convenção Coletiva Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro, em São Paulo.

O texto da convenção prevê reajuste de 3,5% no salário e em todas as verbas de natureza salarial (incluindo vale-refeição e outros benefícios). Em relação à Participação dos Lucros e Resultados (PLR), os bancários conquistaram o direito de receber (dentro de 10 dias) a regra básica que consiste em 80% do salário, já reajustado, mais R$ 828 na parte fixa. Há ainda uma parcela adicional que equivale a 8% da variação nominal do lucro líquido de 2006 em relação a 2005, distribuído linearmente para todos os funcionários, com teto de R$ 1.500 e valor mínimo de R$ 1.000, dada pelos bancos que tiverem ganhos abaixo de 15% na lucratividade.

Segundo o presidente da Contraf-CUT, Vagner Freitas, a Campanha Nacional deste ano foi dura, difícil, mas alcançou objetivos como aumento real de salário e melhor participação nos lucros. “Mas temos muito a conquistar ainda, principalmente pela lucratividade recorde do sistema financeiro nacional. E avançarmos também para estender nossa Convenção Coletiva para todos os trabalhadores do sistema financeiro nacional”.