Bancária lesionada e às vésperas da aposentadoria é demitida pelo banco

9


O Bradesco demitiu, na última semana, uma bancária portadora de doença adquirida no exercício da função (LER/DORT) e que, após mais de 32 anos de dedicação ao banco, tinha acabado de requerer o benefício da aposentadoria no INSS.  Ela foi contratada em dezembro de 1985 na agência da avenida Sete de Setembro, Porto Velho (RO), e nessas mais de três décadas de trabalho ela foi afastada para tratamento de saúde em quatro oportunidades, sendo a primeira em 2005, quando o INSS reconheceu a doença ocupacional. Em 2014, o perito médico diagnosticou a doença que comprometeu 40% dos membros superiores.


O Sindicato dos Bancários e Trabalhadores do Ramo Financeiro de Rondônia (SEEB-RO) entendeu que o banco se aproveitou da chance de demitir uma funcionária que buscava sua aposentadoria, mas, principalmente, porque ela estava lesionada depois de tantos anos dedicados ao banco, e que por ser portadora de LER/DORT, não poderia ser desligada do quadro profissional da empresa.


“Buscar a justiça e garantir a revogação de demissões injustas e arbitrárias do Bradesco, e que todo trabalhador continue com seu emprego é o esforço das nossas entidades sindicais. Nossa luta é defender os bancários e bancárias, para que a justiça seja feita”
Rita Ferreira, diretora de Igualdade e Diversidade do SEEB/CE