Bancários cobram maior responsabilidade social diante do lucro recorde no primeiro trimestre de 2007

60

A Caixa Econômica Federal teve lucro de R$ 777,574 milhões no primeiro trimestre de 2007. O resultado é 11,15% superior ao do primeiro trimestre de 2006. As contratações de crédito no primeiro trimestre atingiram R$ 12,3 bilhões, crescendo 19,5% em relação ao mesmo período do ano passado. Desse total, R$ 6,2 bilhões foram destinados a pessoas físicas.


As operações que mais cresceram, segundo a Caixa, foram o cheque especial, com aumento de 26,2%, e o crédito consignado, com 34,3%. O crédito habitacional fechou o primeiro trimestre em R$ 2,8 bilhões, financiando 95,5 mil moradias. No ano passado, os empréstimos habitacionais foram de R$ 2,6 bilhões no primeiro trimestre.


Para Plínio Pavão, coordenador da Comissão Executiva dos Empregados da CEF (CEE/CEF), o que mais se observa em todo País é que continua uma grande defasagem de pessoal. “A Caixa precisa e tem condições para contratar mais para que possa continuar crescendo e para reduzir a carga de trabalho de seus trabalhadores, que estão no limite”, sustenta.


Além dos R$ 2,8 bilhões destinados à habitação, o orçamento da Caixa prevê R$ 6 bilhões para projetos de saneamento e mais R$ 1,1 bilhão para infra-estrutura urbana, previstos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).


O presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará e empregado da CEF, Marcos Saraiva, considera que, com um lucro tão exorbitante, o banco tem condições de valorizar mais seus empregados. “São eles que construíram esse lucro e que precisam ser mais recompensados, com metas menos sufocantes, maior participação nos lucros, além de mais contratações para que a Caixa Federal tenha como oferecer à população brasileira um atendimento digno e de qualidade”, afirmou.