Bancários cobram reunião com HSBC para discutir o fim das demissões

7


A Contraf-CUT enviou ofício à direção do HSBC, cobrando o agendamento de uma reunião com urgência para discutir o fim das demissões, a reintegração dos demitidos e uma política permanente de emprego. Desde o dia 6/11, estão ocorrendo dispensas em todo o Brasil, que podem chegar a 800 funcionários, segundo informações extraoficiais.


“O banco inglês não confirma os números dos demitidos, mas também não nega nem divulga qualquer informação oficial sobre os desligamentos que não param”, afirma Miguel Pereira, secretário de Organização do Ramo Financeiro da Contraf-CUT.


Com as demissões, os bancários vêm paralisando desde o dia 7/11, centros administrativos e várias agências em Curitiba, onde fica a sede do banco, bem como diversas unidades em outros estados. “Queremos debater com o banco o fim imediato das dispensas, pois é um absurdo o que o banco está fazendo com os seus funcionários”, destaca o dirigente sindical.


“Isso caracteriza demissão em massa. Segundo os tribunais, esse tipo de desligamento só poderia ocorrer após o esgotamento de todas as possibilidades de aproveitamento dos trabalhadores, através de um processo de negociação coletiva com as entidades sindicais”, salienta Miguel. Outro fator relevante é o clima de angústia e apreensão instaurado entre os empregados do banco, na medida em que a qualquer momento poder ter igualmente os seus contratos de trabalho rescindidos.