Bancários debatem crise financeira mundial

17

O Sindicato dos Bancários do Ceará realizou no último sábado, dia 6/12, o debate “Conjuntura e Sistema Financeiro na Atualidade”, com a participação do economista e professor da Unifor, Henrique Marinho e do supervisor técnico do DIEESE/CE, Reginaldo Aguiar.


De acordo com o economista Henrique Marinho, a crise começou porque o maior mercado financeiro do mundo não regulava seu sistema financeiro. “Enquanto o mercado ia bem, os bancos iam emprestando e esqueceram os riscos. Quando se gerou a crise, o mercado naturalmente se retraiu”, explicou. Ele afirmou ainda que a crise nas bolsas, fuga de capitais, desaceleração das economias, desvalorização cambial e o aumento do desemprego são efeitos naturais da crise. Marinho ressalta também que a atuação do Estado e dos bancos centrais tem sido fundamental para segurar a crise no mundo e no Brasil também.


O supervisor técnico do DIEESE, Reginaldo Aguiar, enfatizou que o Governo federal tem realmente um papel fundamental no controle da crise no Brasil. “O efeito da crise financeira mundial sobre os brasileiros será maior ou menor de acordo com as providências que o Governo tomar”. Para ele, o Brasil ainda se apresenta um tanto imune com relação à crise porque as medidas de inclusão social do governo Lula criaram um mercado interno forte que garantiu o consumo interno e os investimentos, apesar da tendência de queda nesses setores. Ele considera que o crescimento da economia brasileira deve ser menor do que o esperado em 2009, mas deve acontecer, “o que já é um ponto positivo”, concluiu.