Bancários discutem fator previdenciário e reabilitação com o Ministro

12


Uma ampla representação dos bancários, com a participação da Contraf-CUT, federações e sindicato, foi recebida em audiência pelo ministro da Previdência Social, Carlos Gabas, em Brasília, para debater pautas sobre a saúde do trabalhador de interesse da categoria.


Entre os temas, a abordagem dos dados que serão disponibilizados plataforma eletrônica E-Social, sobre a vida laboral dos trabalhadores, especificamente na questão da saúde. O Ministério se dispôs a participar de um Seminário sobre o tema com a Contraf-CUT para que esse assunto seja aprofundado.


Sobre o Fator Previdenciário de Prevenção, os bancários deixaram claro que querem publicidade e transparência nos dados sobre esta política pública implementada em 2010, seus impactos positivos e negativos, se ela vem contribuindo ou não para a prevenção de acidentes.


Na questão da Reabilitação Profissional, os bancários levaram a posição defendida na mesa de negociação com a Fenaban de que trata de uma política pública, tem que ser feita pelo Estado e que as empresas e os bancos têm que assumir a responsabilidade no retorno da licença. O ministro Gabas informou que nenhuma medida será tomada de forma unilateral ou bilateral (governo-setor patronal), que este assunto está congelado, qualquer medida neste sentido terá que ter a participação dos trabalhadores.


A mobilização a partir do que foi discutido na audiência terá que se intensificar para que se possa avançar. Foi dado um passo importante ao conseguir colocar nossas pautas e aprofundar o debate, mas é preciso manter a mobilização da categoria.