Bancários do Banco do Brasil exigem avanços na pauta específica

15

Além das cláusulas que estão sendo negociadas com a federação dos bancos (Fenaban), os bancários do Banco do Brasil estão em greve nacional por tempo indeterminado para verem atendidas suas reivindicações específicas. No Ceará, a paralisação de agências chega a 58 unidades em Fortaleza e 109 no Interior do Estado.

Quanto mais forte a paralisação, maiores são as chances de avançar nas conquistas. Portanto, é de suma importância a adesão de todos para o sucesso da luta da categoria. Participe dos comitês de esclarecimento e fortaleça os piquetes da greve.


As principais reivindicações específicas no BB são:


1) Aumento do piso do PCS.


2) Jornada de 6 horas para todos os cargos técnicos, sem redução de salários.


3) Fim dos descomissionamentos com base em uma única avaliação de desempenho, transferindo-se essa alçada exclusivamente para a Gepes.


4) Fim da Lateralidade e dos desvios de função, com a volta das substituições para todos os cargos.


5) Crescimento horizontal nas comissões do PCC, com incorporação anual das gratificações de função.


6) Ampliação do número de caixas em todas as agências e efetivação dos substitutos.


7) Fim das metas abusivas, das cobranças individuais e dos rankings de produtividade.


8) Garantia da comissão e dos benefícios para os afastados por licença-saúde, para todo o período de afastamento.


9) Eleição de representante dos funcionários para o Conselho de Administração.


10) Indenização da Gratificação Variável para os ex-funcionários do Banco Nossa Caixa e desmembramento das verbas salariais incluídas no VCPi de todos os egressos de bancos incorporados.


11) Vincular a Ouvidoria interna ao Conselho de Administração, de forma a fortalecer sua posição no combate ao assédio moral dentro do banco.


12) Concessão da licença-prêmio, completando o processo de isonomia dos funcionários.


13) Fim da terceirização do serviço bancário.


14) Fim do correspondente bancário.