Bancários do BB no Ceará rejeitam proposta de greve para dia 30

33


Em assembleia realizada na noite do dia 25/4, quinta-feira, os bancários do Banco do Brasil no Ceará rejeitaram a proposta de greve de 24 horas para o dia 30/4, próxima terça-feira. A participação cearense no movimento nacional será feita com uma manifestação no mesmo dia 30, no Centro de Fortaleza. O protesto é a resposta da categoria para o descaso do banco com uma série de problemas enfrentados pelo funcionalismo. Entre as reivindicações está a revisão do plano de funções, sobre o qual a direção do BB se recusa a negociar mesmo tendo retirado direitos dos trabalhadores.


“Apesar do Sindicato ter explicado os motivos pelos quais defendia a importância da greve, que é uma construção nacional da categoria para tentar forçar o banco a mudar sua postura intransigente, os bancários do Ceará resolveram, diante do quadro local, não aderir a greve”, explica Gustavo Tabatinga, diretor do Sindicato dos Bancários do Ceará. A greve só não foi deflagrada pela diferença de um voto.


Como forma de contribuir para o movimento nacional contra os desmandos da gestão do BB, os bancários decidiram realizar um ato de protesto, às 9 horas do mesmo dia 30/4, na agência Praça do Carmo, no Centro de Fortaleza. Os participantes da assembleia também aprovaram a proposta de uma operação padrão, onde os trabalhadores não devem vender produtos e serviços na terça-feira.


O presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará, Carlos Eduardo Bezerra, destaca a importância da mobilização e da participação dos bancários no movimento. “Mostrando nossa força, nossa unidade e nossa organização, podemos forçar o banco a negociar e escutar nossas reivindicações. O que não podemos é ficar inertes diante de uma gestão fascista e nefasta como é a do Banco do Brasil”, afirma.


O Sindicato convoca todos os funcionários para participarem do protesto no dia 30/4, na agência Praça do Carmo, para reforçar a luta da categoria contra a postura abusiva, autoritária e antissindical do banco.