Bancários do BNB demitidos na era Byron ainda lutam por reintegração

34

A luta dos ex-funcionários do BNB demitidos na era Byron Queiroz ganha nos próximos dias mais um capítulo: uma audiência pública foi marcada para o dia 24/11, na Comissão de Finanças e Tributação (CFT) da Câmara Federal. O projeto de lei 343/2007, de autoria dos deputados Chico Lopes e Daniel Almeida (ambos do PCdoB), tramita na Casa desde 2007 e não há previsão de quando seja votado. Ele ainda deve passar pela Comissão de Constituição e Justiça, antes de ser votado em plenário.


Para o representante da Comissão de Reintegração dos Funcionários Demitidos do BNB, Heider Vasconcelos, a audiência é mais uma tentativa de esclarecer os deputados sobre as injustiças cometidas na Era Byron. “Já estamos lutando há um bom tempo e conquistamos vitórias significativas, mas é preciso mais. Esperamos conseguir uma maior adesão ao projeto”, afirma. Ao todo, 287 bancários lutam pela reintegração ao Banco do Nordeste. Heider explica que, no início, eram 697 bancários esperando o processo, mas alguns haviam pedido aposentadoria, e outros tinham sido demitidos por justa causa e não podiam entrar com o pedido.


“Agora, somos 287 pessoas sonhando com a correção dessa injustiça. O banco não terá grandes custos, pois não vai precisar pagar valor retroativo. No entanto, para nós, isso tem uma importância tanto emocional quanto profissional – já que o tempo de serviço passará a ser contado para a aposentadoria”, completa Heider.

Reintegração dos demitidos do BNB: questão de justiça


O projeto de Lei 343/2007, de nossa autoria, em parceria com o deputado federal Daniel Almeida (PCdoB-BA), pleiteia a reintegração dos funcionários demitidos do Banco do Nordeste do Brasil durante a chamada “era Byron”. Estamos trabalhando pela aprovação do projeto e, para isso, contamos com a compreensão da bancada governista, para a necessidade de se corrigirem as injustiças cometidas contra os servidores do BNB, em um dos capítulos mais tristes da história dessa instituição tão importante para o Ceará, o Nordeste e o Brasil.


Apesar das dificuldades, que são muitas, mantemos a confiança em ver esse projeto aprovado ainda nesta legislatura. Acreditamos que para isso contará muito a continuidade da mobilização das lideranças sindicais e dos servidores do BNB como um todo.


O desligamento forçado de funcionários de instituições como o BNB e o Banco do Brasil foi uma das piores heranças do governo Fernando Henrique Cardoso. Um episódio exemplar da forma com que os funcionários públicos eram vistos e tratados naquele período. Cabe a nós, neste novo momento da história do Brasil, lutar para que essas injustiças sejam reparadas e para que esses trabalhadores, que deram uma contribuição tão valiosa ao nosso serviço público, possam ter seus direitos plenamente respeitados.

Deputado Federal Chico Lopes – PCdoB/CE