BANCÁRIOS DO CEARÁ APROVAM PROPOSTAS DOS BANCOS EM ASSEMBLEIA VIRTUAL

43


Com 85,80% dos votos válidos, os bancários do Ceará aprovaram, em assembleia virtual, as propostas apresentadas pela Fenaban e pelos bancos públicos (BB, CEF e BNB) na Campanha Nacional deste ano. A votação aconteceu nos dias 30 e 31/8, através do sistema VotaBem, em decorrência da pandemia do novo coronavírus, e contou com a participação de mais de 4 mil bancários em todo o Estado.


O acordo será de dois anos e garante, este ano, 1,5% de reajuste nos salários, mais abono de R$ 2 mil para todos, e reposição da inflação (INPC estimado em 2,74%) nas demais verbas como VA e VR, bem como nos valores fixos da PLR. E para 2021, prevê 0,5% de aumento real para salários e demais verbas. Além disso, todas as cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria foram mantidas. Um total de 95,29% dos bancários de bancos privados aprovaram o acordo proposto pela Fenaban, 4,17% votaram não e 0,54% se abstiveram.



“Mesmo em um cenário totalmente adverso, com um governo aliado de banqueiros e contra os trabalhadores, em uma pandemia e com metade da categoria em home office, o que poderia dificultar nossa mobilização, conseguimos reverter as propostas rebaixadas dos bancos, como reajuste zero e mudanças nas regras da PLR que reduziam os valores em até 48%; e de retirada de direitos, como o fim da 13ª cesta alimentação e a redução da gratificação de função. Depois de 14 rodadas de negociação, algumas que entraram pela madrugada, e de mobilizações nas redes sociais, conseguimos arrancar uma proposta com reajustes e que assegura todos os nossos direitos por dois anos, o que é muito importante na conjuntura extremamente desfavorável que estamos enfrentando”, avalia o presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará, José Eduardo Marinho, que representou os bancários cearenses no Comando Nacional dos Bancários.


No Brasil, apurados os votos de 89 sindicatos da categoria que fizeram a votação pelo Votabem, a proposta acordada entre o Comando Nacional e a Fenaban obteve aprovação de 93%. As assembleias também apuraram a aprovação dos acordos específicos firmados na negociação com os bancos públicos. Funcionários do Banco do Brasil registraram índice de 83,68% de aprovação. Na Caixa Econômica Federal, a aprovação foi de 70,82%; no BNB, de 88,86% e no Banrisul, de 94,44%.


Reajuste dos bancários deve injetar mais de R$ 8 bilhões na economia

A proposta aprovada pelos bancários vai ajudar a economia brasileira. Reajuste de salários, vales e da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) terá um valor total de R$ 8.098.464.934,10, de acordo com dados do Dieese. Somente o impacto da PLR é de R$ 6.211.796.397,21 na economia. O reajuste salarial, incluído o abono, vai implicar na injeção de outros R$ 757.064.915,60. Restaurantes, lanchonetes e supermercados de todo o país também terão um alívio com a injeção de outros R$ 223.047.621,29, referentes ao reajuste dos vales refeição e alimentação.