Bancários do Ceará continuam na luta contra demissões

50

Diretores do SEEB/CE realizaram ato na manhã da quinta-feira, 6/3, na agência do ABN/Real da Rua Floriano Peixoto, no Centro de Fortaleza. A manifestação teve a participação de banda musical e chamou a atenção das pessoas que passavam pelo local. A mobilização integrou a Luta Nacional pela Defesa do Emprego e foi motivada pela onda de demissões ocorridas no banco após ele ter sido comprado pelo Consórcio de bancos europeus (liderado pelo Royal Bank of Scotland), em outubro de 2007. No Brasil, o ABN passou a ser administrado pelo grupo Santander. Após a aquisição, foram registradas 25 demissões só no Ceará.


Durante a manifestação, os diretores conscientizaram os clientes sobre os problemas que os bancários enfrentam, além de mostrar a importância da participação da população nesta luta. “Estamos aqui para denunciar a atitude anunciada pela direção do banco em reduzir 19 mil postos de trabalho no mundo. Esse não é apenas um problema nosso, dos bancários. Ele pode afetar a qualidade do serviço prestado aos clientes”, afirmou o diretor do SEEB/CE e funcionário do ABN/Real, Clécio Morse.


Já o diretor do SEEB/CE, também funcionário do ABN/Real, Eugênio Silva, ressaltou que “o Santander é o banco de bandeira internacional no Brasil que tem a pior política de recursos humanos”. Eugênio lembrou ainda que a luta pela proteção ao emprego será a prioridade dos bancários do ABN/Real neste ano. “Queremos o cumprimento da Convenção 158 da Organização Internacional do Trabalho (OIT)”, que proíbe dispensas imotivadas em empresas lucrativas.


Após a mobilização, os diretores do SEEB/CE reuniram-se com gerentes da agência Floriano Peixoto para tratar de problemas inerentes a descontos efetivados nos contra-cheques dos bancários da área operacional da agência.