Bancários do Ceará rejeitam propostas da Fenaban, BB e Caixa

44


Reunidos em assembleia na quarta-feira, dia 8/8, os bancários cearenses deliberaram pela rejeição, por unanimidade, da proposta oferecida pela Fenaban em mesa de negociação realizada dia 7/8. Os bancários aprovaram ainda a participação da categoria no Dia do Basta, promovido pelas centrais sindicais, contra os desmandos do governo golpista de Temer, que aconteceu na sexta, 10 de agosto. A categoria rejeitou ainda as propostas oferecidas pelo Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal.


A proposta oferecida pela Fenaban cobria apenas a inflação nos salários, PLR, vales e demais verbas econômicas, sem aumento real. Também não garantiu que os bancários não serão substituídos por trabalhadores contratados de forma precarizada, a exemplo da terceirização. A próxima rodada de negociação ficou agendada para o dia 17 de agosto (sexta-feira).

Além de não querer dar aumento real, os bancos já disseram que vão retirar a cláusula da CCT que possibilita o abono ou compensação dos dias parados de greve.


PROPOSTAS REJEITADAS PELOS BANCÁRIOS


FENABAN


  • Reposição da inflação, medida pelo INPC (projeção de 3,90% entre 1/9/17 e 31/8/18), para salários, pisos, PLR, VA, VR, auxílio-creche/babá etc.

  • Acordo seria de quatro anos, com reposição da inflação a cada data base da categoria (1º de setembro)

  • Alteração de cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) para, segundo os bancos, garantir segurança jurídica, mas sem apresentar a redação das modificações


BANCO DO BRASIL


  • Dois semestres para descomissionamento (ao invés de 3);

  • Diminuição do intervalo de almoço e parcelamento de férias;

  • Não apresentou proposta de renovação do protocolo de resolução de conflitos.


CAIXA


  • ACT com menos da metade dos direitos

  • Fim da PLR Social

  • Fim do Saúde Caixa



Principais reivindicações:


  • Reajuste Salarial – 5% de aumento real, com inflação projetada de 3,87% (até 7/8)

  • PLR – três salários mais R$ 8.546,64

  • PISO – Salário mínimo do Dieese (R$ 3.747,10)

  • Vales Alimentação, Refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá – Salário Mínimo Nacional (R$ 954): Inclusive nos períodos de licença-maternidade, paternidade e adoção, férias e nos afastamentos por doença de qualquer natureza ou acidente de trabalho.

  • 14º salário;

  • Fim das metas abusivas e assédio moral – A categoria é submetida a uma pressão abusiva por cumprimento de metas, que tem provocado alto índice de adoecimento dos bancários;

  • Emprego – Fim das demissões; ampliação das contratações; fim das novas formas de contratação, criadas a partir da Reforma Trabalhista (autônomo, terceirizado e intermitente e contrato parcial); fim da precarização das condições de trabalho e homologações feitas no Sindicato

  • Melhores condições de trabalho nas agências digitais

  • Mais segurança nas agências bancárias

  • Auxílio-educação