Bancários do extinto BCN aprovam proposta do Bradesco

63

Reunidos em assembléia, os empregados do Bradesco admitidos até abril de 1993 e com permanência na empresa até maio de 1999 aprovaram, após discussão, a proposta do Bradesco relativa à Fundação Francisco Conde, no valor de R$ 46 milhões, referente ao processo remanescente do IABCN.

Com a compra do BCN pelo Bradesco em 1997 e principalmente após a retirada do patrocínio da Fundação Francisco Conde em maio de 1999, os empregados pautaram o debate do patrimônio da Fundação, que pertence aos trabalhadores.

Após várias negociações, o Bradesco aceitou a importância de R$ 46 milhões como valor total do patrimônio da entidade.

O montante poderá ser pago em dinheiro ou revertido em assistência médica. Este procedimento, bem como o valor que caberá a cada um dos bancários, faz parte da segunda negociação com o Bradesco. Estes valores são recursos assistenciais da Fundação. Os acertos previdenciários já foram feitos no ano de 2001.

O Sindicato dos Bancários do Ceará solicitará ao Sindicato de São Paulo a relação dos nomes dos bancários e ex-bancários que são beneficiários do IABCN.