Bancários do HSBC exigem respeito e lançam campanha contra as demissões

45

Nos dias 1º e 5/11, o HSBC retomou o processo de demissões em todo o Brasil, já iniciado em abril, quando cerca de 380 bancários foram para a rua. Dessa vez, cerca de 120 empregados perderam seu emprego. As dispensas significam mais uma quebra da palavra do banco, que afirmou seguidas vezes em negociação com representantes dos trabalhadores que não ocorreria demissão em massa. A perda de postos de trabalho certamente prejudicará ainda mais o atendimento aos clientes e deixará sobrecarregados os colegas que ficaram.


Os bancários exigem: Respeito e valorização dos funcionários; Seriedade nas negociações; Que o banco honre sua palavra e cumpra os acordos acertados nas negociações; Fim imediato das demissões; Readmissão dos trabalhadores lesionados; Contratação de mais funcionários nas agências e departamentos; Cumprimento da Convenção 158 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que inibe demissões imotivadas; Fim das filas e melhoria no atendimento aos clientes.


O HSBC, bem como todo o setor financeiro, teve nos últimos anos lucros exorbitantes no Brasil por conta do bom trabalho desenvolvido pelos bancários. Na Campanha Nacional esses trabalhadores conquistaram aumento real de salários, melhorias na PLR e outros direitos. Agora, o HSBC, numa visão tacanha quer compensar esses ganhos dos trabalhadores com demissões.