Bancários do Nordeste querem aumento real de 5%

6


Aumento real de 5%, piso salarial igual ao do Dieese (R$ 2.860,21) e tíquete/cesta-alimentação de um salário mínimo. Estas foram algumas das propostas aprovadas pelos bancários do Nordeste para a minuta de reivindicações da Campanha Nacional 2013, que será definida de 19 a 21 deste mês, na 15ª Conferência Nacional dos Bancários, que acontece em São Paulo.


As propostas foram tiradas durante a 2ª Conferência Regional da Fetrafi-NE, realizada nos dias 5, 6 e 7/7, em Maceió (AL). Delegados das bases de Alagoas, Pernambuco, Ceará, Maranhão, Paraíba, Piauí, Campina Grande e Cariri também decidiram pela manutenção da campanha unificada, com negociações junto à  Fenaban para a pauta geral de reivindicações da categoria e mesas paralelas com os bancos públicos para negociar as reivindicações específicas.


“A Conferência dos Bancários do Nordeste mostrou a unidade da categoria e reforçou o espírito que norteia as nossas lutas. Foi uma conferência exitosa, pois além de deliberarmos sobre questões importantes da Campanha Nacional deste ano, tivemos a oportunidade de debater a conjuntura e reforçar nossas estratégias visando as mobilizações”, disse Carlos Eduardo Bezerra, presidente da Fetrafi/NE e do Sindicato dos Bancários do Ceará.


A 2ª Conferência Regional da Fetrafi-NE foi aberta com a presença do presidente da Contraf-CUT, Carlos Cordeiro. Em seguida houve palestra sobre conjuntura realizada pelo economista Cícero Péricles, professor da Universidade Federal de Alagoas. No sábado houve exposição da economista Vívian Rodrigues, do Dieese, além de trabalhos em grupo para discutir os eixos da Campanha Nacional deste ano, com quatro grandes temas em discussão: emprego; remuneração; saúde, condições de trabalho e segurança bancária; e sistema financeiro nacional.


Na plenária da Conferência Regional, realizada domingo, dia 7/7, além de definir as propostas para a Campanha Nacional 2013, os delegados aprovaram a participação efetiva da categoria nas mobilizações convocadas pela CUT, que buscam pressionar o governo e o Congresso para atender a pauta de reivindicações dos trabalhadores, entre elas a derrubada do PL 4330 (da terceirização), o fim do fator previdenciário e a redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais, sem redução do salário. Caravanas foram à Brasília para acompanhar a votação do PL 4330 e participar das manifestações.


A Conferência Regional também elegeu os delegados que irão participar da Conferência Nacional dos Bancários, em São Paulo.