Bancários e vigilantes debateram segurança com Ministério da Justiça

17

Os debates acerca da proposta de projeto de lei de segurança privada, encaminhada pelas entidades sindicais para atualizar a legislação e reforçar a proteção da vida de trabalhadores e clientes, foram retomados na sexta-feira, dia 26/8, em Brasília, durante reunião da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf/CUT) e da Confederação Nacional dos Vigilantes (CNTV) com o Ministério da Justiça.


O encontro dos bancários e vigilantes teve com representantes da Secretaria de Assuntos Legislativos, que trata da apreciação de projetos de lei. Com o Ministério da Justiça, a Contraf/CUT e a CNTV debateram ainda o crime da “saidinha de banco”, que vem assustando trabalhadores e clientes em todo o País.


No primeiro semestre deste ano, conforme pesquisa nacional da Contraf/CUT, 20 pessoas forma mortas em assaltos envolvendo bancos, sendo 11 em casos de “saidinha de banco”. A ação é vista como criminosa, começa dentro das agências e dos postos de atendimento, requerendo medidas preventivas por parte das instituições financeiras.


A Contraf/CUT e a CNTV também alertaram o Ministério da Justiça para o problema da utilização de correspondentes bancários, que substituem agências e postos de atendimento bancário, sem a contrapartida do emprego de bancários e vigilantes e sem qualquer medida de segurança.