Bancários fazem ato por mais contratações e em defesa da Caixa

16


Cumprindo seu papel de resistência à exploração dos trabalhadores, o Sindicato dos Bancários do Ceará se juntou aos empregados da Caixa Econômica Federal, agências Messejana e Parangaba, na sexta-feira, dia 10/3, num ato em defesa de mais contratações, bem como pela manutenção da Caixa 100% pública, no primeiro dia de pagamento das contas inativas do FGTS, em Fortaleza.


Nas duas unidades, mais uma vez, o Sindicato denunciou o caos em que se transformaram as agências, onde clientes e funcionários sofrem com a superlotação, com péssimas condições de trabalho e de atendimento. A principal reivindicação é a contratação de mais bancários e que os empregados tenham condições de trabalho, além de garantir dignidade para a população.


Os dirigentes sindicais alertaram os clientes, bancários e população sobre as ameaças que pairam sobre as empresas públicas, notadamente os bancos públicos: Caixa, BB e BNB. Ressaltaram que os empregados da Caixa tem compromisso em atender bem, mas com a quantidade de pessoas a serem atendidas, especialmente agora no caso do pagamento das contas inativas do FGTS, com os poucos empregados, é humanamente impossível.


“Cortar pessoal faz parte do desmonte dos bancos públicos, para beneficiar os bancos privados. Essa é a lógica da não contratação: se diminuir o número de funcionários, a população fica com raiva da demora e do atendimento, acaba migrando para outro banco. Essa situação de desmonte é uma realidade tanto na Caixa, como Banco do Brasil e Banco do Nordeste. Essa é a ideia desse governo ilegítimo que está aí. É preciso que a população saiba disso e reaja”, denunciou Túlio Menezes, diretor do Sindicato.


Segundo o diretor Marcos Saraiva, o Sindicato dos Bancários do Ceará está na rua fazendo a discussão da falta de contratações na Caixa, mas também fazendo o debate de outra questão bem mais ampla, lembrando que a aposentadoria é significativa e a pobreza poderá se alastrar caso vingue o descompromisso de Michel Temer de implementar a reforma da Previdência Social. Uma reforma que atingirá os mais pobres.


“O Sindicato alerta você para exigir seus direitos de qualidade no atendimento. A Caixa é patrimônio do povo e o Sindicato exige o cumprimento de um direito, igual para todos. Ou você acredita que tirando 60 empregados da Caixa no Ceará ajuda a atender você melhor, e sem chamar nenhum aprovado no concurso de 2014? Será que a Caixa fechar agências, diminuir o número de empregados, vai resolver a situação do povo? Esse governo temerário que esta aí, está fazendo muitos desmandos, e nós precisamos reagir. Defenda o que é seu!”,  finalizou o Marcos Saraiva.