Bancários fortalecem paralisação em Caucaia e dialogam com a população

20

       

Na manhã de sexta-feira, 2/10, os bancários estiveram no centro de Caucaia (Região Metropolitana de Fortaleza) para explicar à população os motivos da greve da categoria. Nenhum banco daquela cidade está funcionando. Os trabalhadores começaram o ato em frente ao Itaú, seguindo para o Bradesco e, por fim, para o Banco do Brasil. Além desses três bancos, a cidade conta com a Caixa Econômica Federal, que está completamente fechada.


Com muita animação da bandinha e dos emboladores Marreco e Jotinha, o Sindicato dos Bancários do Ceará iniciou a conversa com a população. O diretor do SEEB/CE, Aílson Duarte, deixou claro que a responsabilidade pela greve é dos patrões, que não apresentaram propostas decentes para os trabalhadores. Já o diretor Telmo Nunes destacou os lucros, na casa dos bilhões, obtidos pelos bancos no primeiro trimestre de 2009: “só no Itaú foram quase 5 bilhões! Isso é às custas da exploração das pessoas, trabalhadores e clientes, que enfrentam grande quantidade de tarifas e juros abusivos”, disse. Além disso, ele denunciou o desrespeito descarado dos banqueiros para com os clientes, citando os correspondentes bancários, que impõem aos cidadãos desconforto e insegurança. Para o diretor Ribamar Pacheco, os banqueiros são os “gananciosos da Nação”. Ele explicou o porquê: apenas com o dinheiro arrecadado com tarifas bancárias, os bancos poderiam quitar duas vezes a folha de pagamento de seus empregados. O funcionário do Bradesco e diretor do SEEB/CE, Gabriel Motta, afirmou que o sistema financeiro é o que mais demite no País, mesmo sem estar passando por nenhuma crise, pois os lucros, como já dito, são estratosféricos. Foi lembrado que, na década de 50, o número de bancários era 950.000, e agora encontram-se reduzidos em menos da metade, pois são apenas 450.000 trabalhadores em todo o País.

O APOIO DA POPULAÇÃO – Os bancários contam com o apoio de um percentual elevado dos clientes das instituições financeiras. Qual o motivo para que a sociedade seja solidária à luta? Os bancos abusam, tratam mal funcionários e clientes. Para o senhor José Domingues, vendedor, a reivindicação dos bancários por melhor salário é justa. Ele considera ruim o tratamento recebido pelo banco, ressaltando o tamanho das filas, a burocracia no atendimento e as várias taxas que o cliente tem de pagar. Opinião parecida é a de Maria José Soares, também vendedora e cliente do Banco do Brasil: “o atendimento é muito ruim, muito devagar, principalmente no banco onde eu vou”, declara.