Bancários marcam os 156 anos da Instituição com bolo e protestos

3


Na quinta-feira, dia 12/1, em Dia Nacional de Luta na Caixa, bancários em Fortaleza cobraram do governo e da direção do banco, mais respeito à população e aos empregados. Um ato público em frente à agência Praça do Ferreira, coordenado pelo Sindicato dos Bancários do Ceará, comemorou os 156 anos da Caixa e, ao mesmo tempo, fez a defesa da Caixa como banco do povo brasileiro, exigiu mais contratações de empregados, defendeu a manutenção da Caixa 100% pública e protestou contra o desmonte dos bancos públicos proposto pelo governo ilegítimo Temer.


O Sindicato distribuiu um bolo gigante alusivo ao aniversário da Caixa com populares, que assinaram o abaixo assinado e opinaram sobre a ameaça de privatização, que é a finalidade do governo Temer, ao promover o desmonte dos bancos públicos.


O diretor do Sindicato, Marcos Saraiva pediu apoio da sociedade para a luta em defesa da Caixa, pelos relevantes serviços prestados ao País, ao longo de sua história, bem como pela importância de garantir a Caixa como banco genuinamente público. “Com esse desmonte, com essa ameaça de privatização da Caixa, os prejuízos atingem a todos: sofre a população que perde o maior banco social do País e nós, empregados do banco, ficamos submetidos às péssimas condições de trabalho e sobrecarga, além de cobranças abusivas”, completou o dirigente.


Confira as opiniões:


“A privatização da Caixa não pode acontecer, porque é muito importante pra nós aposentados e as pessoas mais pobres” – Reinaldo Gomes, aposentado do Ministério do Trabalho.


“Sou totalmente contra a privatização da Caixa” – Maria Auxiliadora Matos, vendedora.


“A privatização da Caixa  é um desserviço ao País. Como entregar para a iniciativa privada um patrimônio do povo?” – Melquíades Lima (nome fictício), oficial da Marinha do Brasil.


“Temos que fazer tudo para não privatizar a Caixa. Eu acho que os bancos públicos tem que continuar ajudando os mais carentes” – Orlando Martins, aposentado.


“Eu sei que esse governo aí só quer acabar com as empresas do povo, não tem menor interesse pela gente, pelo povo” – Carlota Pinto, turista de Teresina (PI)