Bancários param agência do HSBC contra desconto do PPR/PSV na PLR

23

Para mostrar a insatisfação dos trabalhadores do HSBC com os descontos na PLR, o Sindicato dos Bancários do Ceará pararam por uma hora o atendimento numa agência do banco, na Aldeota, em Fortaleza. A segunda-feira, dia 27/2, foi um Dia de Luta dos bancários do HSBC, que receberam seus contracheques da segunda parcela da PLR, com desconto dos programas próprios de participação nos lucros do banco (PPR/PSV), frustrando a expectativa da categoria.


“A frustração dos funcionários foi muito grande, pois se esforçaram para cumprir as metas absurdas do programa do banco, e o que vão receber é bem menor do que esperavam”, diz o diretor do Sindicato dos Bancários do Ceará, Humberto Filho, que participou da paralisação da agência do HSBC, promovida pelo Sindicato.


Em reunião com os funcionários da agência Aldeota, onde também funciona a Superintendência Estadual do HSBC, o presidente do SEEB/CE, Carlos Eduardo Bezerra falou dos motivos da paralisação de uma hora no atendimento de agência e enfatizou que o Sindicato, aliado a todo movimento sindical ligado à Contraf-CUT, luta para por fim a essa compensação do PPR/PSV na PLR.


“O contrato de PLR feito na Campanha Salarial não é vinculado aos programas próprios dos bancos. A maioria dos bancos que possuem programas próprios de participação nos lucros tem garantido o pagamento das duas remunerações. Uma das exceções é o HSBC”, disse Carlos Eduardo.


Quando foi criado o programa próprio de remuneração do HSBC (PPR/PSV) não havia o desconto na PLR, além disso as metas eram coletivas e não individuais. Hoje, o programa próprio do banco é compensado na PLR, e na maioria dos casos fica valendo somente o pagamento já assegurado na Convenção Coletiva Nacional dos bancários. O movimento sindical cobra a abertura de negociação para definir as regras do Programa de Remuneração Próprio do HSBC, para que sejam mais justas e diminuam o clima de insatisfação entre os bancários.