Bancários podem incluir parceiros do mesmo sexo em planos

26

Os bancários do Unibanco garantiram uma importante conquista que deve servir de exemplo para os outros bancos. A partir de agora, os companheiros e companheiras do mesmo sexo poderão ser incluídos no convênio médico e odontológico. Esta é a primeira vez que um banco privado aceita esta reivindicação dos trabalhadores do ramo financeiro que buscam igualdade de oportunidades.

Até agora, apenas o Banco do Brasil e a Caixa abriram este direito para seus funcionários. No caso do Unibanco, os parceiros do mesmo sexo podem ser incluídos nos planos com a comprovação de três dessas seis exigências: apresentação da conta bancária conjunta, registro em qualquer associação onde conste que o interessado é dependente do segurado, apólice de seguro em nome do parceiro, escritura de compra e venda de imóveis com o nome dos dois, prova de encargos domésticos evidente da existência de sociedade no ato de vida civil, e declaração de Imposto de Renda do segurado, em que consta o interessado como seu dependente.

Convênio Odontológico – O Sindicato de São Paulo reuniu-se com a direção do Unibanco no último dia 16 e cobrou soluções para os problemas com os convênios odontológicos do banco, que afetam os bancários em todo o País. Os representantes do banco justificaram que já cobraram as pendências das duas empresas que prestam o serviço e que elas se comprometeram a resolvê-las até setembro. Como opção, o Unibanco anunciou o convênio com uma nova empresa, a Uniodonto, com garantia de migração já em setembro.