Bancários protestam contra a ?cachorrada dos banqueiros"

28

“Essas manifestações são nossa resposta do Sindicato para a cachorrada dos banqueiros”, anunciou o presidente do Sindicato dos Bancários, Carlos Eduardo Bezerra, sobre a distribuição de cachorros-quentes feita a populares de vários bairros de Fortaleza. As manifestações aconteceram nas agências Bradesco Verdes Mares (28/9), Santander da Rua Major Facundo e Itaú da Barão do Rio Branco (29/9), Caixa da Parangaba, Itaú da Gomes de Matos e Bradesco Bezerra de Menezes (30/9).


A atividade foi uma simbologia da luta da categoria contra a política intransigente dos bancos e uma forma de pedir o apoio popular. “Distribuímos esse cachorro-quente para simbolizar a cachorrada que os banqueiros e o Governo têm feito com os bancários e a população”, disse Telmo Nunes, diretor do Sindicato.


“Essa greve tem um significado muito forte. Há muitos anos estamos reivindicando as mesmas coisas. Caixa, BNB e Banco do Brasil entraram na mesma lógica de mercado dos bancos privados, uma lógica cancerígena”, afirmou o diretor Gabriel Motta.“A cada ano os bancos lucram mais em cima do esforço e competência dos funcionários”, disse Ribamar Pacheco, diretor do Sindicato.


Ao som de uma banda, foram distribuídos mil cachorros-quentes por dia. Na quinta-feira a “cachorrada” foi acompanhada pela apresentação artística dos humoristas Colorau e Neorlândio. Na sexta-feira, o Sindicato levou para o protesto um bolo gigante como alusão ao bolo de milhões de reais lucrado pelos bancos. Os diretores do Sindicato ainda prestaram solidariedade à luta de outras categorias. “Nós estamos aqui exigindo respeito. Antes foram os motoristas de ônibus e o pessoal da construção civil. Agora, são os bancários, os professores e os Correios. São poucos recebendo por muitos”, declarou Marcos Saraiva, diretor do SEEB/CE.


O diretor Ailson Duarte alertou sobre o teor da Campanha dos bancários, que não se limita aos reajustes salariais; “Nossa campanha não trata apenas de salário, mas da construção de um País mais justo. Nessa luta entre capital e trabalho nós pedimos a compreensão da população”, afirmou.


Enquanto os bancos continuam sem abrir canal de negociação com a categoria, a população aprovou a manifestação e dá apoio massivo aos grevistas, que pretendem manter a Campanha deste ano com esse espírito lúdico.