Bancários protestam contra a retirada das portas giratórias

22

   

O Sindicato dos Bancários do Ceará promoveu na quarta-feira, 7/3, um ato de protesto na agência do Itaú da avenida Desembargador Moreira com Av. Santos Dumont. A motivação foi a retirada das portas giratórias, aumentando a insegurança para funcionários e clientes.


Com o pretexto nada convincente de “evitar constrangimentos”, o Itaú vem retirando gradativamente de suas agências as portas giratórias detectoras de metais. Seguindo o [mau] exemplo do Bradesco, o Itaú copia um modelo que diminui a segurança de clientes e usuários e facilita a ação de assaltantes.


O presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará, Carlos Eduardo Bezerra Marques, afirmou que o SEEB/CE vem denunciando as falhas no sistema de segurança e os descumprimentos dos bancos nos planos de segurança do sistema financeiro na Comissão Consultiva de Segurança Privada do Congresso Nacional (CCASP).


O presidente do SEEB/CE citou a lei federal 7.102/1983 que rege a segurança bancária dentro das agências. De acordo com a lei, para funcionar, uma agência deve apresentar pelo menos três itens de segurança: a presença de vigilantes armados, alarme eficiente e mais um desses itens – equipamentos elétricos, eletrônicos e de filmagens; artefatos que retardem a ação dos criminosos, como: portas giratórias detectoras de metais e equipamento de retardo instalado na fechadura do cofre ou cabina blindada com vigilante. Acontece que, ao optar pela não colocação de portas giratórias, esses bancos expõem seus clientes, usuários e trabalhadores à insegurança. “Retirar as portas significa tira a tranquilidade dos clientes e dos bancários, além de facilitar a vida do crime organizado”, alerta.


A diretoria do Sindicato acredita que as portas giratórias devem ser obrigatórias para todas as agências e postos de atendimento bancário, sendo uma das propostas dos trabalhadores para o projeto de lei que cria o estatuto de segurança privada, que está em estudo no Ministério da Justiça, a partir de iniciativa da Polícia Federal.


O presidente do Sindicato citou ainda a lei estadual 14.961/11 que regulamenta, entre outros itens, a instalação de biombos em todas as agências do Estado além de farmácias, supermercados, casas lotéricas e outros estabelecimentos que tenham caixas eletrônicos ou serviços bancários, para que o cliente tenha privacidade quando for utilizar os caixas. “Essa é mais uma segurança para clientes e usuários e uma forma eficaz de evitar crimes do tipo ‘saidinha’ bancária”, disse.