Bancários protestam contra plano de funções imposto pelo Banco do Brasil

12


Bancários de Fortaleza se mobilizaram na quinta-feira, dia 7/2, em manifestação contra redução de salário e outras medidas causadas pelo sistema imposto pelo Banco do Brasil. Um ato organizado pelo Sindicato dos Bancários do Ceará mostrou a indignação e a revolta da categoria contra a imposição do plano de funções pela direção do banco, em frente à agência na Avenida Heráclito Graça, na Aldeota.


Esse foi um ato sob orientação da Contraf-CUT, organizado a partir da Comissão de Empresa do BB e visa dar notoriedade  pública ao plano de funções que o Banco fez, sem negociação com o movimento sindical, nem com os funcionários, com redução de salários.  Os principais problemas que se evidenciaram contra o plano do BB, apareceram quando o banco disse que ninguém iria ter perdas, mas o banco reduziu em 16,25% um dos itens principais de um dos cargos, que é a principal função que gera problemas jurídicos pelo Brasil inteiro.


O BB trouxe a jornada do bancário efetivamente para 6 horas, mas trouxe perda de salário de 16.25%. O banco fez o plano com amarra jurídica, feito por escritório renomado no País, tão amarrado juridicamente, inclusive com consulta ao TST, para não dar brechas legais para que o banco não perdesse mais na Justiça. O BB é o principal passivo trabalhista do Brasil, entre as empresas ativas.


Presentes à manifestação, em Fortaleza, os diretores do Sindicato, Bosco Mota, Rochael Almeida, Plauto Macedo, Lea Albuquerque, Alex Citó, Marcos Francelino, Rita Ferreira, Mateus Neto e José Eduardo, juntos com outros apoiadores, lembraram que a mobilização foi importante para continuar a luta contra a implantação do plano de funções pelo BB, feito sem negociação com o movimento sindical.


Pressão – “Essa é uma demonstração de força muito importante dos trabalhadores para a direção do Banco do Brasil, mostrando a insatisfação contra esse absurdo que a empresa está fazendo”, disse José Eduardo Marinho, diretor do SEEB/CE e funcionário do Banco do Brasil, ressaltando que a manifestação faz parte da mobilização nacional para pressionar a instituição a rever o plano.


Os dirigentes sindicais ressaltaram a importância da unidade da categoria e do papel do Sindicato na luta em defesa dos bancários. “O banco mexeu com várias áreas em todo o Brasil e nós do Sindicato, não vamos no calar, vamos em frente até que o BB reveja esse plano de maldades” disseram.