Bancários querem melhorias nos planos de cargos e fim do assédio moral

37

   


O 22º Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (BB) aprovou no domingo, 10/7, a pauta específica de reivindicações para Campanha Nacional dos Bancários 2011, que inclui melhorias no Plano de Cargos Comissionados e no Plano de Cargos e Remuneração, fim de voto minerva da Previ, fim imediato das terceirizações e dos correspondentes bancários, intensificação do combate ao assédio moral e metas abusivas, combate ao descomissionamento, fim do fator previdenciário e reforçar o caráter público do BB para ampliar o crédito produtivo sem discriminar os clientes de baixa renda. Foram 338 delegados presentes ao 22º Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil.


“Tivemos um debate de alto nível e intenso. Foram dois dias com discussões que culminaram em aprovações de resoluções importantes que devem fazer parte da mesa de negociações com o BB. Já foi dada a largada para a Campanha Nacional de 2011. Todas as forças políticas estiveram presentes e defenderam as suas propostas e todas estão dispostas a fazer a mobilização em nível nacional”, afirma o coordenador de Comissão de Empresa dos Funcionários do BB, Eduardo Araújo.


Outras reivindicações aprovadas pelo 22º Congresso, relativas à previdência, foram a redução da Parcela Previ do Plano 1 e redução da PP no benefício de risco do Previ Futuro, volta da consulta ao corpo social, resgate da contribuição patronal do Previ Futuro, aumento do teto de benefícios para 100% da remuneração da ativa e aumento do valor do benefício mínimo.


Os delegados também decidiram denunciar o BB à OIT por maus tratos aos funcionários e discriminação aos bancários incorporados, reivindicar a suspensão do projeto BB 2.0 e do modelo de agências complementares.


Os delegados reunidos no Grupo 1 do Congresso discutiram, na tarde do sábado, 9/7, os temas relacionados à remuneração e a jornada de trabalho. Entre os itens definidos por consenso no grupo, está a luta pela valorização do piso salarial e contra os descomissionamentos. Para o piso, a reivindicação dos bancários é que ele corresponda ao Salário Mínimo Necessário calculado pelo Dieese, cujo valor em maio deste ano foi de R$ 2.293,31. Outro ponto fundamental é o combate aos descomissionamentos.

Reivindicações específicas aprovadas no 22º Congresso dos Funcionários do BB

REMUNERAÇÃO E JORNADA

A luta pela valorização do piso salarial e contra os descomissionamentos serão prioritários na campanha nacional. A reivindicação é que o salário de ingresso no BB corresponda ao salário mínimo calculado pelo Dieese (R$ 2.293,31, em maio de 2011). Além de melhorias no Plano de Cargos e Salários e no Plano de Cargos e Remuneração (PCR); licença prêmio e férias de 35 dias após 20 anos para os pós-98; volta das substituições e fim da lateralidade.

PREVIDÊNCIA

O fim do voto de Minerva e o retorno da obrigatoriedade de consultas junto ao corpo social e que o Diretor de Participações volte a ser eleito diretamente pelo funcionalismo foram algumas das principais reivindicações definidas para ampliar a gestão dos participantes junto ao fundo de pensão. Fim do Fator Previdenciário.


Previ estendida aos bancários de todas as instituições incorporadas. Teto da NRF especial para benefícios, a luta contra a CGPC 26, o resgate da contribuição patronal do Previ Futuro, o aumento do benefício mínimo, aumento do teto de benéficos para 100% da remuneração da ativa; aposentadoria antecipada para mulheres aos 45 anos; implantação da contribuição sobre PLR; discutir a mudança na tabela de tributação dos planos de previdência e que a Previ faça estudo sobre a viabilidade da concessão do auxílio cesta alimentação para os aposentados; antecipação do reajuste pra janeiro; redução da Parcela Previ 1; e redução da Parcela Previ, no benefício de risco, do Plano Previ Futuro.

SAÚDE

A Cassi tem de ser garantida a todos os funcionários, preservando todos os direitos dos trabalhadores dos bancos incorporados. Essa foi uma das cerca de cinquenta resoluções do tema saúde aprovadas pelos delegados; a melhoria no atendimento da Cassi em cidades do Interior e por meio do credenciamento de hospitais de excelência foram também deliberados pelos delegados; e melhoria do Plano Odontológico.


Para ampliar o combate ao assédio moral, será reivindicado que o BB faça a adesão à cláusula da convenção nacional da categoria assinada com a Fenaban que estabelece o instrumento contra a prática; Intensificação do combate as metas abusivas.


Para prevenir doenças, como as LER/Dort, será exigido que o banco respeite o intervalo de repouso de dez minutos a cada hora trabalhada para funcionários do segmento de digitação e da Central de Atendimento.


Será exigido ainda que todos os integrantes da Cipa sejam eleitos e que seja emitida a CAT para todos os funcionários da dependência que passou por assalto, incluindo vigilantes e outros funcionários.

BANCOS PÚBLICOS
O fim dos correspondentes bancários e das terceirizações, a suspensão do Projeto BB 2.0 e dos modelos das agências complementares; o combate à homofobia no BB, a preservação dos direitos dos funcionários incorporados; a Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB) assessora o Comando Nacional nas negociações com o Banco do Brasil; e a Convenção Coletiva de Trabalho negociada em mesa geral da categoria concomitante à mesa específica com o BB, foram algumas das resoluções aprovadas no tema Banco Público e Organização do movimento.