Bancários reivindicam PLR maior

21

Os funcionários do HSBC iniciam o ano de 2006 em campanha pelo Índice de Participação dos Valores Atingidos (IPVA). Essa é uma forma bem humorada que os bancários encontraram de reivindicar um aumento na Participação nos Lucros e Resultados (PLR) da empresa.

Os bancários lembram que há algumas semanas o presidente do HSBC no Brasil, Emilson Alonso, foi personagem de matérias de jornais e revistas de grande circulação nacional, sendo escolhido o empreendedor do ano por vários veículos de comunicação. Entre os principais motivos, a ampliação do horário de atendimento e a abertura aos sábados por parte das agências, vem aumentando a lucratividade do banco e afligindo os funcionários.

Isto quer dizer que todo sucesso que a mídia atribui ao presidente do banco se deve ao trabalho, à dedicação e a competência dos funcionários do HSBC. Junto à fama de Emilson Alonso, cresceram também o número de bancários com doenças ocupacionais, o assédio moral e a cobrança abusiva pelas metas, a sobrecarga de trabalho e muitos outros problemas. É justo que o banco divida melhor seus ganhos com seus funcionários, pois foram eles que ajudaram o banco a ampliar o seu lucro e por isso reivindicam a parcela que lhes cabe.

As recentes negociações sobre a PLR do Banco do Brasil e do Itaú, que resultaram em melhora nas verbas destinadas aos bancários deve servir de base para os debates com o HSBC nas negociações permanentes.