Bancários têm mais problemas psicológicos do que físicos

17

Pesquisas realizadas pelo Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro com funcionários de dois grandes bancos privados revelou que os transtornos psicológicos estão superando as lesões físicas entre as doenças mais comuns entre bancários. Utilizando a metodologia do Projeto VidaViva, os sindicalistas já consultaram alguns bancários do Bradesco e do HSBC.


No Bradesco, 73,2% dos bancários avaliam que é sobre sua saúde mental que as pressões e o stress do dia a dia têm maior influência. Já no HSBC este número é um pouco menor. Dos 151 pesquisados, 67,5% alegaram que os problemas mentais como insônia, depressão, irritabilidade, medo e insegurança, entre outros, são mais comuns que as doenças físicas.


Para Adriana Nalesso, diretora que representa o Seeb/Rio na coordenação nacional do Projeto, as diferenças nos resultados são provocadas pelas diferenças nas próprias organizações, principalmente na forma de cobrar as metas.


Um estudo realizado com a metodologia do Projeto já teve sucesso em outra empresa. Os funcionários do call center do Itaú participaram de uma pesquisa que revelou as péssimas condições de trabalho do local. O Sindicato não tinha como saber o tipo de problemas que havia no prédio pois havia uma proibição à entrada do movimento sindical. Foi preciso uma autorização especial aos pesquisadores. Somente com a pesquisa foi possível avaliar o imenso risco à segurança a que estavam expostos os funcionários e tomar as medidas necessárias.