Banco adia respostas às reivindicações para dia 22/9

26

A rodada de negociação específica entre o Comando Nacional dos Bancários e a Caixa Econômica Federal que ocorreu sexta-feira, dia 11/9, em Brasília, frustrou os empregados. A empresa não se posicionou em nenhum dos itens agendados, prometendo responder às reivindicações somente após o dia 22/9, depois dos resultados da negociação com a Fenaban.

A Caixa esclareceu algumas dúvidas e silenciou diante da maioria das reivindicações do Comando e da Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa). Mas o combate foi feito: os representantes dos empregados levaram para a mesa questões urgentes como a isonomia entre novos e antigos trabalhadores, a recomposição do poder de compra dos benefícios dos aposentados e questões referentes à Funcef, principalmente o fim do voto de minerva nas instâncias da Fundação, a mudança do método de custeio do Reg/Replan não saldado e a democratização da gestão.


A próxima negociação específica será no dia 22/9 e vai abordar os seguintes assuntos: Plano de Cargos Comissionados (PCC), Plano de Cargos e Salários (PCS) e jornada de trabalho.

CONFIRA OS PRINCIPAIS TEMAS TRATADOS:

ISONOMIA – A CEE/Caixa reivindicou que sejam estendidas a todos os bancários a licença-prêmio, o Adicional por Tempo de Serviço (ATS), além da normatização das Apips.

DEMOCRATIZAÇÃO DA GESTÃO – Também foi cobrada a eleição de representação de empregados na gestão sendo no Conselho de Administração e no Conselho Diretor. Assim, a CEE/Caixa cobrou, mais uma vez, a instituição do Vice-Presidente Representante (Virep) com mandato fixo e eleito pelo voto direto dos empregados. Cobrou também que exista uma representação dos empregados no Conselho de Administração da empresa.

FUNCEF – Uma das principais reivindicações em relação à Funcef é o fim do voto de Minerva. Outra questão é a mudança no método de custeio do REG/Replan não saldado. A CEE/Caixa cobrou da empresa uma mudança de posição porque a manutenção do atual método de custeio prejudica os 7 mil empregados que estão no REG/Replan não saldado e a própria empresa. Em relação à incorporação do REB pelo novo plano, a empresa informou que a matéria está sendo avaliada pelo seu setor jurídico e depois passará para outros órgãos controladores (Ministério do Planejamento, Secretaria de Previdência Complementar, Dest). A comissão dos empregados cobrou urgência no andamento desse processo. Também foi cobrada que seja aberta a possibilidade de se fazer contribuição retroativa ao início do Novo Plano.

APOSENTADOS – A CEE/Caixa cobrou o pagamento do auxílio e da cesta-alimentação a todos os aposentados e pensionistas, reafirmando que o benefício seja dado de forma continuada, incluindo os que saíram no PADV e os que perderam ações na justiça. Também foi cobrada a recomposição do poder de compra dos benefícios dos aposentados e pensionistas com aporte feito exclusivamente pela Caixa.

CONTRATAÇÕES – A autorização de mais 2.200 contratações anunciada na negociação passada é importante, mas é insuficiente. A CEE/Caixa reafirmou que é preciso acelerar o ritmo de contratações de novos empregados, já que existem concursados aprovados, aguardando chamada.